Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

Entrevista - David Henzerling

Relacionado com: King Kobra
Data da Entrevista: 12/03/2018
Autor: Johnny Paul
Traduzido por: Johnny Paul

Acessos: 117

Compartilhar:

Facebook Twitter Google +

David Michael-Philips, nome que andou lado a lado com o baterista Carmine Appice em grande parte dos anos 80 hoje atende por David Henzerling, guitarrista do King Kobra, com passagens por Keel, Icon, Schoolboys, Tunnel e Big Cock. Entrei em contato com David e ele aceitou gentilmente conceder uma entrevista falando sobre os primeiros anos do King Kobra, suas influências musicais e projetos atuais. Confira!

1. Olá, David. É uma honra te entrevistar, até mesmo pelo fato de eu ser um grande admirador da música do King Kobra. Conte-nos um pouco sobre suas influências musicais e as inspirações para tocar guitarra e baixo.

Oi, Johnny. Minhas bandas favoritas e que cresci ouvindo são Deep Purple e Kiss. Deep Purple por causa de Ritchie Blackmore (um guitarrista que tentei copiar, mas não consegui) e Kiss por causa de Ace Frehley (que me mantive mais próximo do estilo de tocar). Ambos são excelentes guitarristas, na minha opinião, mas com diferentes estilos. Ambos eram incrivelmente estilísticos, mas Ace estava mais estruturado enquanto Blackmore era mais livre. Quanto aos baixistas, John Paul Jones e Robert DeLeo.

2. Como foi o contato com Carmine Appice e a seleção para entrar no King Kobra?

Eu enviei para Carmine uma fita cassete com base em um anúncio que vi em um jornal. Fiz uma audição e me juntei à banda. Fiquei amigo dele desde então. Um cara muito talentoso e simpático. 

3. O primeiro álbum do King Kobra é sólido e admirado na cena Hard Rocker. Como foi o processo de gravação de Ready to Strike?

Várias das músicas eu trouxe de grupos anteriores de quando eu morava no Arizona, mas as composições receberam modificações no estilo do King Kobra. Muito dos créditos vão para Spencer Proffer, nosso produtor. Ele era bom em escolher as músicas que eram fortes deixando as mais fracas para segundo plano. Um track-listing sólido, para ter certeza.

4. Em 1986, a banda saiu em turnê pelo México, passando por Acapulco. O vídeo do show mostra uma energia de palco intensa. Poderia detalhar esta experiência?

Esse foi um dos maiores shows que já tocamos, o "Festival de la Amistad". Tocamos com Quiet Riot, La Toya Jackson e muitas das principais bandas mexicanas. Conhecemos muitos fãs de todo o México, América Centra e do Sul.

5. Nos dias atuais você está envolvido em algum projeto? Ou tem planos para o futuro?

Estou trabalhando em um projeto solo agora que é muito diferente do meu material anterior, que era baseado no Heavy Metal. É mais calcado nas décadas de 60 e 70 (Classic Rock), com muitas guitarras, mas também com teclados e cordas. Espero lançar ainda neste ano de 2018.

6. Muito obrigado pela entrevista, David. Um abraço em você e na família e estaremos atentos aos projetos.

Obrigado por acompanhar o trabalho e por levantar a bandeira do Rock. Espero vê-lo em breve.


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Marcelo Loss

Relacionado com: Concreto

Data da Entrevista: 02/08/2018

Cadastro por: Mário Pescada
Em: 06/08/2018

Dave Meros

Relacionado com: Iron Butterfly, Spock's Beard

Data da Entrevista: 13/07/2018

Cadastro por: André Luiz Paiz
Em: 16/07/2018

Shammash

Relacionado com: Mythological Cold Towers

Data da Entrevista: 09/04/2018

Cadastro por: Tarcisio Lucas
Em: 20/06/2018

Toby Jepson

Relacionado com: Wayward Sons

Data da Entrevista: 09/06/2018

Cadastro por: Mário Pescada
Em: 12/06/2018