Bem-vindo ao 80 Minutos

Nós amamos música e adoramos compartilhar nossas avaliações sobre os álbuns de nossas bandas favoritas.

...

Entrevista - Daniel Vargas

Relacionado com: Adellaide
Data da Entrevista: 01/04/2019
Autor: Diógenes Ferreira

Acessos: 387

Compartilhar:

Facebook Twitter

Chamando a atenção desde 2016 com seu EP e posteriormente em 2017 com seu full length, a banda Adellaide vem conquistando cada vez mais espaço aqui e no exterior praticando um AOR/Melodic Rock de alta qualidade. Conversamos com o vocalista Daniel Vargas para saber mais a respeito do atual momento da banda e a preparação do novo álbum que está por vir. Confira!

Para acompanhar o trabalho da banda, acesse:

Site Oficial
Canal YouTube

1. Olá Daniel, satisfação ter esse bate papo com você para falarmos um pouco sobre a Adellaide e também de sua trajetória musical aos leitores do site 80 Minutos. Prazer conversar com você! 

Olá meu querido Diógenes Ferreira, a satisfação é toda minha. Antes de tudo muito obrigado pela oportunidade e estou ansioso para responder as perguntas!

2. Gostaria de começar perguntando sobre o momento atual da banda, com novos integrantes (Vitor Balconi e Herbert Loureiro), além de contrato renovado com a Lions Pride Music para um segundo álbum e a partir de agora, também via Sony Music. Nos fale mais a respeito?

Estamos em um momento muito especial, pois com a entrada desses dois músicos queridos e, além de tudo juntando com os integrantes que permaneceram na banda, onde todos já eram grandes amigos em comum, estamos em uma fase de encontrar um foco, metas e que representa um passo profissional muito significante para a banda, não é a toa o nome do novo disco ser “New Horizons” que representa um novo horizonte, porém que não soa desconhecido, mas sim excitante, instigante, que deixa aquele ar de curiosidade no ar “o que será que vai acontecer com a banda agora?” rs...

Sobre a Sony eu agradeço muito o suporte aos nossos “Vídeo Clips” no canal VEVO e dizendo também que a nossa gravadora Lions Pride Music, também tem um canal no YouTube onde temos um número muito bacana de Visualizações e curtidas.

Sobre o contrato com a gravadora Lions Pride Music, é de profundo sentimento de gratidão esses caras acreditarem em nosso trabalho e nos dar esse suporte. O Brasil precisa saber que esta gravadora hoje é uma das melhores e mais genuínas no segmento exclusivo de Hard Melodic Rock/AOR, no mercado internacional, o estilo AOR vem se disseminando cada vez mais no mundo e as pessoas que não viveram a época de ouro dos anos 80, podendo presenciar as bandas deste estilo que amamos hoje, tem a oportunidade de conhecer as bandas que este selo internacional apresenta para o mundo e de uma forma similar, viver esse sentimento de banda nova no ar, deste estilo no momento atual que o rock se separa cada vez mais em diferentes nichos.

3. Com novo álbum a caminho e já com título definido de ‘New Horizons’, o que esperar desse 2º full length da banda? Como foi o processo de composição?

Esta pergunta pode soar comum em todas as bandas, mas em nosso caso é muito legal que ela tenha sido feita, pois se eu te disser que as melodias vem na cabeça como um presságio de outro mundo você vai acreditar? “vai ver que é do mundo invertido” rs quando a gente está na situação mais fora de órbita e somos obrigados a pegar qualquer coisa que dê para apertar um botão de gravar “REC” eu não estarei mentindo, já aconteceu até quando eu estava em um jantar e eu arrumei uma desculpinha, tipo: “vou ao banheiro” para gravar a ideia e depois juntar os trechos e formar uma música inteira rs e desta vez não foi diferente, foi um compondo, ligando pro outro e mostrando a ideia e o mesmo disse: p*** q*** p*** eu vou fazer a letra desta p*** rs, outro mandando mensagem cantando da forma que podia a ideia e falando, “desculpe a voz de sono eu nem sou cantor” saiu tudo estranho, mas você no final entende! O que fica disso tudo é essa coisa divertida de “quem foi que compôs?” Ah foi todo mundo e que se lasque rs...

O que esperar deste segundo disco? Bom... serei objetivo: mais orgânico, mais rítmica, mais pegada vocal e sempre muito melódico de escorrer açúcar pelos ouvidos! Rs...

4. A banda no debut ‘Flying High’ nos apresentou um excelente AOR/Melodic Rock que acredito ter sido um dos destaques do ano de 2017. Qual o segredo de ter gravado um disco tão eficaz e coeso dentro do estilo proposto?

Muito obrigado pelo elogio, na época, devido a facilidade de agenda que eu tinha com os ex membros, era muito tranquilo o processo de enviar e receber arquivos um para o outro, pois sempre tivemos muita proximidade, tudo era feito muito conectado... “Compôs? Me manda que eu vou mexer em algo e depois todo mundo vê se está bom e a gente bate o martelo”, então não tinha muita invenção de moda, éramos encurralados pelas grandes bandas e influencias do estilo que estavam lançando algo na época e a gente seguia o baile e fazia o que manda o figurino, diga-se de passagem com muita fidelidade ao processo de criação da coisa, pois se tratava do primeiro álbum, tinha que ser algo para mostrar pro mundo: “Hello! A gente também faz AOR embora estejamos no Brasil”, rs...

5. Músicas como “Nights in Japan”, “Lion’s Den”, “Stone of Truth”, “Heroes” e “Learn To Live” foram alguns dos destaques do primeiro álbum. Você já consegue apontar quais músicas acredita que irão se destacar nesse segundo álbum?

Isso é uma coisa muito engraçada, se você me permitir fazer um adendo antes, pois como a gente compõe um estilo de música que somos fãs, a gente fica “apaixonadinho” por algumas músicas assim que batemos o ouvido na mix final quando nos é enviada pelo Tito Falaschi após masterizar, mas depois conforme o tempo passa, a gente ensaiando todos os dias as mesmas músicas, a coisa muda completamente, então eu acredito que os ouvintes sejam muito mais capacitados para apontá-las quando o disco for lançado, tipo “qual foi aquela música que mexeu com eles?”, já teve caso de nos informarem que já ouviram o nosso som no Uber e que era uma das músicas que eles mais gostavam, quando acontece isso, bate uma sensação maravilhosa. Uma pessoa que eu conheço há anos, que foi morar em Portugal me informou que ouviu na rádio e como essa pessoa estava afastada há algum tempo, ela disse que presumiu que era algo relacionado a mim, porque parecia com a minha voz e era uma música que essa pessoa sempre imaginou que um dia eu ia fazer, me conhecendo lá do passado! 

6. Por falar em destaque, “Caroline” foi outra música maravilhosa do primeiro álbum. Canção essa que também fez parte do EP de sua antiga banda, Horyzon. Nos fale sobre esse projeto anterior e essa nova roupagem dada a essa música especificamente?

Essa música é um tabu, pois segue que nem uma nuvem, rs na época da Horyzon em 2014, (Primeira banda do estilo AOR que participei) o Tito Falaschi ficou responsável por toda a montagem da música, execução e produção, depois na Adellaide, veio aquele fio de esperança, vamos refazer esta música versão Adellaide? E os meninos seguiram à risca, porém cada um com seu RG Musical e essa salada toda se resultou no que podemos ouvir em Flying High, recebendo críticas muito significativas de sites e revistas especializadas no estilo, inclusive sendo apontada pela gravadora como nosso primeiro single Oficial do álbum!

7. Quais bandas e vocalistas são suas referências dentro do AOR/Melodic Rock? 

Sem Pensar, ta? Rs... 
Vocalistas: Benny Mardones, Steve Perry (Journey), John Payne (Asia), Dennis DeYoung (Styx). 
Bandas: Charlie, Magnum (Não é sorvete rs...), Survivor, Balance, Coastland Ride, Shy, 2AM, Maxus.

8. E sobre o nosso cenário nacional de AOR/Melodic Rock que vem crescendo desde os tempos de Orkut através dos próprios fãs brasileiros do estilo e que parece cada vez mais evoluir e gerar bons frutos após o surgimento de bandas como Silent, Auras, Highest Dream, Marenna, Horyzon e a própria Adellaide. Como você enxerga tudo isso estando à frente de um dos nomes que vem levantando essa bandeira do estilo no Brasil?

Eu me sinto mais do que especial, sabe? Mas não sou nada perto de tanta gente que levanta esta bandeira há tanto tempo, tem muita banda bacana acreditando nessa cena aqui no Brasil e isso me enche de orgulho, além das bandas citadas, por exemplo, o “NOW” do meu amigo “Alec Mendonça”, “Joey Summer” que além de músico, é uma influência musical minha, é o idealizador visionário e criador das nossas capas desde o Horyzon até a Adellaide, tem a “Manhattan Avenue” do Ricardo de Stefano e o Degrigo que foi da “Paradise Inc.” com o Allan Juliano, tem a “Valet” do interior de São Paulo, “Sunroad” do grande baterista “Fred Mika” onde Participei do seu disco solo “Whitdrawal Symptoms” ao lado de músicos como Carl Dixon (Coney Hatch, April Wine, Guess Who), Michael Vöss (Mad Max, Casanova, M.S.G., Phantom V), Tito Falaschi, Rodrigo Marenna (Marenna), Steph Honde (Hollywood Monsters), Mario Pastore (Pastore). Os meninos do “The Alliance” com os ex membros da primeira formação do EP da Adellaide, “Ocean Drive 85” que fiz com o querido Rodrigo Marenna, “Still Living” do Renato Costa, “Trigger” dos queridos amigos: Icaro Bastos e Akillas Gomes, “Hot Foxxy” do amigo Betão, tem a banda “Nigro” do meu amigo Carlos Nigro e “Leo´s Confession” do meu amigo Leonardo Baldan, que eu fui convidado para trabalhar no arranjo da composição do trabalho deles, vocês que estão lendo a entrevista se me permitem, procurem todos esses trabalhos para ouvir, é muito legal o conceito que cada banda desenha o estilo aqui no Brasil e eu espero que venham muito mais bandas por aí.

9. Desde o princípio a banda teve abertura no exterior através da Lions Pride Music. Quais os planos para que a Adellaide se torne cada vez mais conhecida e continue crescendo lá fora? Shows, turnês, algo em vista nesse sentido?

Já fomos surpreendidos com o “Sold Out” no Japão e em alguns países em relação ao nosso disco ter sido muito bem vendido lá fora, saímos até na revista “BURNN!” não tem nada mais empolgante do que isso para nós que somos bombardeados com um estilo musical e cultural completamente diferente no Brasil nos dias de hoje. Além disso, eu preciso agradecer a oportunidade que o Evandro Marcos da Gravadora Alta Voltagem REC nos deu, prensando e distribuindo o nosso primeiro EP com todo profissionalismo e qualidade, a Lions Pride Music lançou o nosso primeiro trabalho full e agora vamos rumo ao segundo, o futuro ainda é um mistério, mas o mais importante é que a banda está pronta para voar para onde as portas se abrirem, todos os shows que forem aparecendo serão divulgados no nosso novo site oficial www.adellaideband.com 

10. Gostaria de encerrar agradecendo sua disponibilidade em nos conceder essa entrevista para o site 80 Minutos e fica aberto o espaço para suas considerações finais aos nossos leitores e fãs da banda Adellaide. Parabéns a todo o grupo e sucesso com o segundo álbum!

Eu queria em primeiro lugar agradecer as suas palavras e a oportunidade como já disse na primeira pergunta, rs depois quero agradecer a toda a equipe que está trabalhando com a gente nesse momento, amigos (não gosto de chamar gente tão amada de fãs rs) pra mim são todos amigos queridos rs, investidores, músicos, parceiros, todos que sempre estamos em contato e fazemos questão todos os dias de agradecer e valorizar pessoas tão especiais, eu ainda me sinto muito pequeno para dizer para o mundo como é ser uma coisa ou outra, pois acredito ainda estar no começo de uma jornada onde somente a outra dimensão um dia pode me separar daqui, rs mas me ponho a disposição de todas as pessoas que quiserem um apoio musical assim como fiz com os amigos queridos: Nigro, Leonardo, o querido Marenna e Tito Falaschi que logo mais faremos uma parceria de trabalhos de composição e produção, aqui a coisa não para, vamos sempre para a frente que assim o mundo gira mais agradavelmente rs...


Quer Mais?

Veja as nossas recomendações:

Paul Gilbert

Relacionado com: Mr. Big, Paul Gilbert, Racer X
Data da Entrevista: 12/04/2019

Cadastro por: André Luiz Paiz
Em: 17/04/2019

Pete Trewavas

Relacionado com: Edison's Children, Kino, Marillion, Transatlantic
Data da Entrevista: 25/03/2018

Cadastro por: André Luiz Paiz
Em: 02/04/2018

Ricardo DeStefano

Relacionado com: Freaky Jelly
Data da Entrevista: 06/10/2019

Cadastro por: Diógenes Ferreira
Em: 07/10/2019

James LaBrie

Relacionado com: Ayreon, Dream Theater, Frameshift, James LaBrie, Last Union, Mullmuzzler, Winter Rose
Data da Entrevista: 10/12/2018

Cadastro por: André Luiz Paiz
Em: 21/12/2018

Martin Popoff

Data da Entrevista: 26/08/2019

Cadastro por: Mário Pescada
Em: 25/09/2019

Bobby Kimball

Relacionado com: Bobby Kimball, Kimball Jamison, Toto, Yoso
Data da Entrevista: 09/05/2018

Cadastro por: André Luiz Paiz
Em: 07/06/2018