Para os que respiram música assim como nós


Artigo

Aniversário 33 anos

Acessos: 77


Por: Fábio Arthur

11/04/2021

O porto seguro do Maiden em 1988. Quando eu comprei o vinil na época eu fiquei surpreso com material. Para muitos, era comercial ou muito diferente. Mas enfim, era ótimo e diferente, sim. 

A banda nessa fase fechou o Donnington em 1988 e chegou como favorita da MTV com três vídeos. Vendeu todo catálogo de novo e fez Piece of Mind manter destaque na mídia novamente, assim como Powerslave. A tour rendeu um vídeo em VHS e vários singles também, assim como promoção gigante em todos os países lançados. 

Infinite Dreams e Can I Play with Madness, além de The Evil that Man do foram bem aceitas. La estava o teclado, a guitarra de Smith sintetizada e uma fonte técnica acima de outros discos do grupo.

Eddie chegou sem cabelos e sem a tampa do cérebro e com o sétimo filho sob sua costela em cordão umbilical, o nascimento de uma premonição. O disco traz Bruce de volta nas letras e soa épico, vide faixa título. Assim, as melodias são bem incisivas e a bateria mostra contraste com o baixo.

Fico feliz por não estar envelhecido esse trabalho. Um dos meus preferidos da banda e talvez o último grande disco da donzela. 

Up The Irons!

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.