Para os que respiram música assim como nós


Artigo

A história da música que nossos ancestrais não contavam: Os Capítulos Negros na história do Metal - Parte III

Acessos: 110


Autor: Daniel alves Ribeiro

24/08/2020

Conhecido por ser líder do Dissection (banda que influenciou a geração seguinte, em que se inclui Watain), Jon Nödtveidt era mais do que um músico bastante talentoso ele elevou a música do Disssection a outro patamar, mas se pelo lado profissional ele era o Cara pelo lado pessoal não foi a mesma coisa, e após lançar o excelente Storm Of The Light's Bane. 

Lá pelo ano de 1997 o vocalista sueco junto com um Iraniano chamado Vlad que ele teria conhecido quando adentrou a gangue Werewolve Legion seriam condenados, a dez anos de prisão (tendo cumprido apenas sete) por ter participado no homicídio de Josef ben Meddour que segundo eles foi uma espécie de missão cometer um sacríficio humano. De volta à liberdade em 2004, Jon envolver-se-ia com a Misanthropic Luciferian Order, uma seita que, com os seus escritos, influenciou o guitarrista/vocalista a compor “Reinkaos”, de 2006. Tiraria a própria vida a 13 de Agosto de 2006 com um tiro, mas não foi um mero suicídio. O acto terá acontecido dentro de um círculo de velas e ao lado do corpo foi encontrada uma grimória satânica (considerada a Liber Azerate), cenário que o guitarrista Set Teitan viria a tornar público quando mencionado que se tratava antes da Bíblia Satânica, de Anton LaVey. Provavelmente tratando-se de um ato programado, Jon Nödtveidt considerava que o satanista decide a sua própria vida e morte, preferindo morrer com um sorriso nos lábios quando atinge o pico da sua vida, quando já realizou tudo (…). O satanista morre forte, não de idade, doença ou depressão, e escolhe a morte em vez da desonra! A morte é o orgasmo da vida!  

Uma perda gigantesca para o mundo do Metal Extremo!

Os textos publicados na página do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do autor


Compartilhe:

Comente: