Para os que respiram música assim como nós


Artigo

Discos importantes - Parte I

Acessos: 338


Por: Fábio Arthur

13/04/2020

O vinil e/ou CD, não importa quais os meios em que você ouve ou coleciona música e a escuta, para os fãs de Rock and Roll, sempre vão haver preciosidades para adquirir e o mais importante admirar e assimilar as obras.

Na história da música, principalmente dentro da vertente Rock ou seus derivados, os artistas deixaram obras incontestáveis em seu total. Fato esse que culminou com álbuns de bandas que se tornaram clássicos e que marcam gerações e mais gerações, dos avós aos pais, passando aos filhos e chegando num futuro também aos netos. 

As rádios, TVs e revistas impulsionaram e ainda hoje o fazem com veemência e reverências aos grandes astros da música e seus discos principais e que se tornaram fenômenos mundiais; isso no mundo todo. São aquelas obras intensas em que o ouvinte passa pelo disco todo sem pular uma canção e chega em um ápice de uma espécie de devoção. São álbuns que fizeram a cabeça de determinada juventude e que passa de década por década sem perder a credibilidade.

Todos nós temos nossos discos de cabeceira. Mas não somente nós como a crítica especializada e os fãs clubes e afins. Álbuns aqui que vou listar por meu gosto, mas que muitos também os tem como referências diretas. Lembrando que minha visão se complementa com o que eu creio ser de suma importância e com a referência da crítica mundial. 

Inegável discos como o debute do KiSS - "KISS" (1974), uma obra única, com faixas supremas envoltas em rock bem conduzido e refrões calorosos. Um outro trabalho muito importante seria o Led Zeppelin - "Led Zeppelin II" (1969), álbum pesado, clássico com nuances primorosos, balurte da música boa. O Pink Floyd com "Dark Side of the Moon" (1973), obra-prima dotada de valores imersos em uma qualidade evolutiva e muito além do seu tempo. The Beatles - "Sgt. Pepper's and Lonely Hearts Club Band" (1967) um disco essencial na carreira na história da música, não somente do rock, também bem à frente de seu tempo. Black Sabbath - "Black Sabbath" (1970), o bluesy com rock e metal, junção épica e pioneira de forma a trazer milhões de influências sob outros grupos. O Queen - "A Night at the Opera" (1975), um disco virtuoso e com padrões elevados, principalmente nos vocais primorosos de Mercury, álbum fundamental do grupo e do rock clássico. A veia mais pesada com o notório Motörhead - "Ace of Spades" (1980), tragando tudo em sua volta com mistura de rock, punk, speed e metal. Outro grupo com plenos fundamentos o AC/DC - "Back in Black" (1980) álbum de ponta dentro do cenário mundial, maravilhoso. Jimmy Hendrix - "Are you Experienced" (1967), trabalho totalmente pleno e inovador. Não distante, temos também o Van Halen - Van Halen (1978), disco empolgante e de conteúdo primoroso. Iron Maiden - "The Number of the Beast" (1982) rendeu frutos enormes para grupo e o disco traz a essência do metal melódico. Deep Purple - "Machine Head" é imortal e acima da média em um rock furioso e elaborado. Também temos o fenomenal Uriah Heep - "Very Eavy, Very Umble" (1970), álbum com clímax de clássico. 

Esses são alguns dos elementos de primeira linha. Impossível citar todos, mas nas próximas publicações mais álbuns serão destacados. 

O intento dessa matéria é levar o leitor a compartilhar de opiniões, comentar sobre os seus discos preferidos ou até mesmo sugerir aos novos fãs alguns discos clássicos da história do rock.

As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor


Compartilhar

Comentar via Facebook

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.
Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito e aberto para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.