Resenha

Wired

Álbum de Jeff Beck

1976

CD/LP

Por: Márcio Chagas

Colaborador Sênior

20/12/2018



Um clássico do fusion gravado por Mister Beck

Na metade da década de 70 o fusion invadia o mercado musical com força total.  O estilo criado por Miles Davis que mesclava o improviso do jazz com a dinâmica do rock possuía um frescor que entusiasmava os músicos mais virtuosos.  Porém, que pese o fato de unir dois estilos antagônicos, o fusion era um estilo predominantemente liderado por jazzistas, ou músicos vindo deste universo. 

Jeff Beck, o inglês de gênio irascível foi um dos poucos músicos de rock a se aventurarem com êxito pelo estilo. O guitarrista havia integrado a Santíssima trindade do Yardbirds aos lado de Jimmy Page e Eric Clapton e se aventurara em uma bem sucedida carreira solo com seu Jeff Beck Group. Porém, no ano de 75, o músico lançou o festejado “Blow by Blow’ e iniciou uma parceria prolifica com o produtor George Martin, considerado por muitos como o quinto Beatle.

Beck Volta então aos estúdios comandado novamente por Martin para gravar um novo álbum. Porém, o guitarrista resolve reformular seu grupo de apoio trazendo músicos mais virtuosos e com certa experiência no estilo. 

Jeff inicia neste disco uma nova parceria, agora com o tecladista Tcheco Jan Hammer, um especialista em cuidar de sintetizadores e que havia integrado por anos o Mahavishnu Orchestra de John Mclaughlin. Hammer levou consigo o baterista Narada Michael Walden, que além de também ter integrado o Mahavischnu era um exímio compositor. Max Middleton foi chamado  apenas para cuidar do piano elétrico e do clavinete. Mas em minha opinião, a cereja do bolo foi a entrada de Wilbur Bascomb, baixista com fortes influências de soul music e funk americano, tendo trabalhado com músicos tão dispares como James Brown, João Donato e Jack Mcduff. Toda essa bagagem foi essencial para o estilo groveado que se ouve em todo o trabalho.  Vale destacar ainda a presença do baterista Richard Bailey em duas faixas.

O disco abre com "Led Boots". Dizem ser uma suposta homenagem ao Led Zeppelin, apesar de eu duvidar desta informação. A faixa  começa com uma bateria pesada seguida da entrada pungente de Beck. É uma composição de Middleton onde o  baixo pulsante repete o riff base indefinidamente amparando a melodia. Uma base  precisa e fenomenal feita pela cozinha;

“Come Dacing” é um tema de Narada. Se inicia  com baixo pra lá de swingado de Wilbur, seguida de notas esparsas de piano que seguram o ritmo até a entrada do líder. Ela possui um andamento mais lento, quase um midi tempo. Destaque para a bateria bem encaixada de Walden e o piano elétrico bem colocado de Max;

Em seguida temos um dos pontos altos do álbum com "Goodbye Pork Pie Hat", uma  releitura do clássico de jazz do baixista Charles  Mingus. É  um dos mais belos Covers já gravados desta canção, que mostra o refinamento do guitarrista na escolha de timbres e músicas, além de deixar claro sua aproximação com o estilo nascido em Nova Orleans;

“Head For Backstage Pass” é um curto tema composto por Bascomb e o tecladista Andy Clarke.  É a faixa perfeita para o baixista mostrar todo seu talento  e estilo. Uma faixa calçada no funk americano com altas doses de soul e jazz;

Já na segunda metade do álbum surge “Blue Wind”, uma canção  composta por Hammer para coloca-lo em evidência. Durante todo o tema, teclados e guitarras duelam tentado tomar para si a atenção do ouvinte. É a música mais conhecido do tecladista, sendo composição obrigatória em todas suas apresentações posteriores com sua banda solo;
“Sophie” foi composta por Walden. A canção começa lenta e vai se desenvolvendo a medida do tempo, se transformando em um grande tema fusion com destaque para a integração entre bateria e teclados;

A faixa seguinte “play with Me” começa sincopada, calçada no onipresente Bascomb. Os sintetizadores de Hammer é uma peça importante na construção do tema, assim como o piano de Max que se mostram antagonistas da guitarra de Beck;

“Love is Green” é uma balada que encerra o álbum de maneira primorosa, com a guitarra de Jeff soando melódica e até mesmo progressiva.

“Blow By Blow” é um excelente álbum, mas é inegável que o guitarrista alcançou seu amadurecimento musical com “Wired”. O disco foi lançado em maio de 1976 e serviu para consolidar o nome de Beck no cenário mundial do fusion. Pela primeira vez um músico de rock havia ganhado notoriedade em um estilo predominado por jazzistas.

Beck continuaria surpreendendo fãs e detratores nos anos seguintes, mas este é um assunto pra outro post.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Márcio Chagas

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/04/2018

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ArtigoVariações sobre um mesmo tema: Led Zeppelin “No Quarter”!

    02/09/2021

  • Image

    ResenhaThe Dead Daisies - Holy Ground (2021)

    31/01/2021

  • Image

    ResenhaGary Moore - How Blue Can You Get (2021)

    13/09/2021

  • Image

    ResenhaThe Rolling Stones - Jamming with Edward! (1972)

    24/11/2018

  • Image

    ResenhaBlind Faith - Blind Faith (1969)

    14/02/2019

  • Image

    ResenhaApocalypse - The Bridge of Light (2008)

    24/07/2019

  • Image

    ResenhaRush - Hold Your Fire (1987)

    03/05/2019

  • Image

    ResenhaSteve Rothery - The Ghosts Of Pripyat (2014)

    19/06/2021

  • Image

    ResenhaBruce Dickinson - The Chemical Wedding (1998)

    13/11/2020

  • Image

    ResenhaFelipe Continentino - Felipe Continentino (2012)

    26/07/2020

Visitar a página completa de Márcio Chagas



Sobre o álbum

Wired

Álbum disponível na discografia de: Jeff Beck

Ano: 1976

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 5 - 3 votos

Avalie

você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Wired



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.