Resenha

Ride The Lightning

Álbum de Metallica

1984

CD/LP

Por: Fábio Arthur

Colaborador Especialista

02/10/2018



Diferencial no segundo disco

O Metallica veio da linha do speed/thrash e, em seu segundo álbum, muito se questionou, principalmente os fãs. A banda viria diferente em Ride The Lightning, bem mais acertada, menos rápida, muito mais melodiosa e logicamente pesada também. 

O nome do disco na verdade é uma gíria para prisioneiros que estão condenados à cadeira elétrica e, nessa fase também, as mudanças viriam nas letras, tratando do desespero humano, do medo, das perdas e sofrimentos; está ai a ideia da arte de capa fenomenal do disco. 

O grupo preservou a linha thrash, mas se valeu de melodias e riffs mais ponderados, além de andamentos mais cadenciados. Esse foi um fator chave para alguns fãs ficarem desapontados na época; aqueles que eram mais radicais, no caso.

Produzido pela banda e por Flemming Rasmussen, o disco ainda não chega em ser bem polido, pois falta algo em alguns momentos, principalmente quando a bateria de Lars e seus dois bumbos reverberam de forma avassaladora, misturando-se com as linhas de guitarra e assim fazendo um amontoado de sonoridade extrema. No entanto, as linhas vocais de Hetfield ficaram bem equalizadas e o grupo conseguiu trazer também o peso do baixo de Cliff Burton (R.I.P.), sem perder a sonoridade. 

Esse foi também o último disco do Metallica em contar com alguma composição do ex-membro Dave Mustaine (Megadeth). Assim, o grupo seguia livre para poder se valer de suas novas ideais nos próximos discos. 

Logo de cara, com algo bem melódico, o disco abre diferente de seu debute e antecessor, “Fight Fire with Fire” é poderosa e mostra um som mais cadenciado não tão na linha speed, mas sim um peso alucinante e que empolga acertadamente, “Ride The Lightning” vem na sequência e que denota um riff muito bem tocado. Durante a canção, a variação de tempo ajuda a encorpar a faixa de forma acertada. Baseado no livro/filme, “For Whom the Bell Tolls” foi ignorada por Lars, que não queria a mesma no álbum, mas após ser gravado e com o disco pronto, ela se tornou um hit certeiro. Uma faixa pesada, que alia cadência e um ritmo bem definido. Em “Fade to Black” o grupo traz pela primeira vez uma balada - para desespero dos adeptos do puro thrash -, assim, a canção mostra toda competência e desenvoltura durante sua execução, brilhante na verdade e que culmina em passagens mais rápidas com dois bumbos certeiros de Lars. “Trapped Under Ice” vem na linha do primeiro disco, e em “Escape”, o novo seguimento volta em ser usado, com cadência e as linhas de guitarras palhetadas sendo notáveis e fortes. “Creeping Death”, que traz sua letra entre as passagens bíblicas da época do Faraó, vem ser uma das melhores do álbum, tanto no quesito letras como em som, propriamente dizendo; uma faixa clássica sem dúvida. O disco fecha com a instrumental que seria marca da banda por outros discos ainda, a faixa “The Call of Ktulu”, que seria outro ponto bastante inovador do grupo, naquele momento. 

Obviamente esse disco está entre os melhores do estilo, e da banda acaba sendo um dos preferidos dos fãs. A superação em relação ao disco de estreia fica latente logo de cara e o grupo seguiria em frente com mais mudanças ainda; no entanto por um certo tempo, sem deixar cair a qualidade. Ride The Lightning é um disco de alta qualidade e que marca o Metallica na história da música pesada.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Fábio Arthur

Nível: Colaborador Especialista

Membro desde: 04/02/2018

"Obtive meu primeiro contato com o Rock, com o grupo KISS no final de 1983, após essa fase, comecei a me interessar por outros grupos, como Iron Maiden, do qual ganhei meu primeiro vinil o "Killers" e enfim, adquiri o gosto por outras bandas, como Pink Floyd, John Coltrane, AC/DC entre outras."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaMetallica – A Biografia

    02/08/2020

  • Image

    ResenhaA História Não Contada do Motorhead

    26/08/2020

  • Image

    ResenhaThe Rolling Stones - It's Only Rock 'N Roll (1974)

    13/07/2020

  • Image

    ResenhaImmortal - At The Heart Of Winter (1999)

    15/07/2020

  • Image

    ResenhaQueen - Hot Space (1982)

    16/06/2020

  • Image

    ResenhaBarão Vermelho - Barão Vermelho (1982)

    15/09/2020

  • Image

    ArtigoHeavy Metal: 10 grandes álbuns

    09/03/2021

  • Image

    ArtigoAce of Spades: 40 anos da obra-prima

    27/10/2020

  • Image

    ResenhaRaul Seixas - Abre-te Sésamo (1980)

    17/07/2020

  • Image

    ResenhaCarcass - Necroticism - Descanting The Insalubrious (1991)

    13/02/2020

Visitar a página completa de Fábio Arthur



Sobre o álbum

Ride The Lightning

Álbum disponível na discografia de: Metallica

Ano: 1984

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,67 - 15 votos

Avalie

você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Ride The Lightning:

  • 06
    nov, 2018

    Grande agressividade, técnica e gama de expressão musical

    User Photo Tiago Meneses

Visitar a página completa de Ride The Lightning



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.