Resenha

Mirrors

Álbum de Sandra

1986

CD/LP

Por: Marcel Dio

Colaborador Sênior

12/06/2022



Passando no teste do segundo disco. Pop classe A!

Antes de cair nessa resenha em que joguei as fichas na roleta, pensei seriamente em escrever uma matéria sobre o pop atual. Pensei, o problema é que não tenho paciência e nem quero ser arqueólogo para pesquisar quem faz o serviço com qualidade, a maioria dos desqualificados já estão no topo do spotify e outras plataformas, então, fica para a próxima.
Bom, vamos voltar no tempo e falar de Sandra e o segundo disco. 
Sandra foi uma espécie de resposta europeia para competição com Madonna e Cindy Lauper, não bateu de frente mundialmente, entretanto, deu seu recado. 

Se uma máquina do tempo fosse criada hoje e transportassem uma penca de pessoas numa sala com um toca discos, sei que eu e elas pensariam sobre Mirrors, nossa resposta provavelmente seria :  
é apenas um produto sem alma, mais uma obra pop para consumidores imediatistas. 
As constatações poderiam caber a época, hoje e por mais louco que pareça, Mirrors supera fácil qualquer pop atual, principalmente aqueles insuportavelmente escondidos no R & B, já que esse é escancaradamente baseado nos sintetizadores de Michael Cretu, com quem a cantora namorava, casando-se em 1988 e divorciando-se em 2007.
Michael estudou música em Bucareste em 1965 e Paris em 1968, depois frequentou a Academia de Música de Frankfurt de 1975 a 1978, formando-se em música. Dupla perfeita para uma promessa em sintonia com um produtor de mão cheia.
O som romântico de Sandra é atraente em alguns momentos, em outros os arranjos disfarçam canções feitas para completar hits. Gostem ou não, é inegável que a chave de tudo estava em Michael Cretu, enquanto Sandra e sua beleza estonteante hipnotizavam os circuitos europeus. Lembrando que pouco antes Maria Magdalena bombou nas paradas. 

De inicio Don't cry (The breakup of the world) tem apresentação assustadora e progressiva, feita para a entrada de Second Day, que em questão de segundos semelha Breakaway de Donna Summer, mas, não se enganem, Second Day foi concebida três anos antes do sucesso de Summer. Ao entrar os vocais as impressões comparativas somem e Sandra brilha sobre os sintetizadores juntos com os vocais de apoio do ex marido.
Armado de teclados / sequenciadores e uma dose extra de criatividade, o pop pode ir longe. 
Hi! Hi! Hi! é o exemplo do ir longe, seja você um trevoso da camisa preta ou tranquilo apenas para ouvir qualquer vertente desde que os ouvidos sintonizem alegria, perceba meu amigo, Hi Hi Hi! é a maior sacada de Mirrors, um guia no deserto de Sandra a cantar um dos refrães mais pegajosos do sinth-pop.

Midnight Man não faz feio e segue a sequencia que dá um baile em muitos discos da época. Michael faz do instrumento de teclas um contrabaixo, e olha que nesse papel é um dos melhores que ouvi. Como reafirmação salva o produto até quando a melodia vocal não deslancha ao grudento, caso de You'll be Mine.

Innocent Love tem divisões legais nos vocais e passa a ser interessante se prestarem atenção em como é brilhantemente construída. Parece simples, mas para quem já tentou escrever músicas e aplicar o instrumental, entende que o buraco é mais fundo. No meu caso não tenho competência para tal, somente um pouco de noção. Fiquem atentos ao timbre de piano aplicado no teclado, vale a pena perder um tempinho.

Two Lovers Tonight não consegue safar-se. A base grave de Maria Magdalena ou pelo menos metade dela, não ergue Mirror of Love ao estrelato. Por fim, Loreen cai na mesma vala do pacote para fechar discos e Mirrors perde aceleração no final. 

O saldo da brincadeira pop é bom e não deve ser desconsiderado mesmo por quem não suporte o pop plastificado da época, ou a voz de Sandra Cretu. A nota diminui pelas últimas faixas, afora, podem conferir sem sustos e muito menos ... preconceito. 
Para quem não sabe, a dupla criou o projeto Enigma, exposto em face da bela ''Sadeness". São oito discos e milhões de cópias vendidas, baseadas na sonoridade new age.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Marcel Dio

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/03/2018

"Sou um amante da música, seja em qualquer estilo, rock, blues, jazz ou pop."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaBlack Sabbath - Live Evil (1982)

    13/11/2019

  • Image

    ResenhaYes - Union (1991)

    16/09/2020

  • Image

    ResenhaCidade Negra - Sobre Todas As Forças (1994)

    26/07/2019

  • Image

    ResenhaScorpions - Eye II Eye (1999)

    17/12/2018

  • Image

    ResenhaOzzy Osbourne - Bark At The Moon (1983)

    01/12/2018

  • Image

    ResenhaExodus - Persona Non Grata (2021)

    21/11/2021

  • Image

    ResenhaAerosmith - Nine Lives (1997)

    11/04/2020

  • Image

    ResenhaThe Rolling Stones - Undercover (1983)

    17/10/2019

  • Image

    ResenhaToto - Fahrenheit (1986)

    23/08/2020

  • Image

    ResenhaDirty Honey - Dirty Honey (2019)

    25/07/2021

Visitar a página completa de Marcel Dio



Sobre o álbum

Mirrors

Álbum disponível na discografia de: Sandra

Ano: 1986

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Mirrors



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.