Resenha

Cycles

Álbum de Los Canarios

1974

CD/LP

Por: Tiago Meneses

Colaborador Top Notch

08/02/2022



Uma jornada musical colossal, além de ambiciosa e de extrema riqueza, sendo executada com excelência do começo ao fim

Inspirado nas Quatro Estações de Vivaldi, Los Canarios traduz o ciclo verão-outono-inverno-primavera para a vida humana. Ópera, fusion, progressivo, e claro, alguns ritmos latinos que não podem faltar, se misturam para entregar para o ouvinte uma peça poderosa com arranjos que fazem com que o ouvinte imagine alguma ópera-rock protagonizada por muitos personagens como, deuses, Mãe Terra, androids entre outros. É nítido que mais do que um cover ou homenagem à Vivaldi, a banda quis produzir um remake com grande ênfase em maravilhosos arranjos de teclados e guitarras surpreendentes.  

Considerar Ciclos o auge absoluto do progressivo espanhol não é nenhum devaneio, muito pelo contrário. Assim como a obra do compositor clássico italiano, a banda espanhola também dividiu em quatro longas partes – entorno ou acima da marca de 17 minutos cada - cada uma das estações. Ciclos é uma interpretação solta da magnum opus de Vivaldi que utiliza aspectos familiares e depois improvisa novas avenidas criativas dentro de uma estrada progressiva sinfônica, distribuindo assim todo o potencial do mellotron, vibrafones, guitarras elétricas, um coro clássico completo e muito mais.  

Por mais que o disco possa ser visto “apenas” como uma mera adaptação sinfônica progressiva do músico barroco, Ciclos pode ser visto também por meio de uma ótica mais complexa, que utiliza Vivaldi muito mais como uma tela solta sobre a qual pinta um enredo bastante nebuloso que retrata a história da humanidade desde o big bang, quase que principalmente em forma instrumental com vocais que simplesmente adicionam mais textura à paisagem sonora. A diversidade da música é enorme, pois atravessa não apenas o barroco clássico e o rock progressivo sinfônico, mas também o jazz, o soul, o folk tradicional e o rock mais cru, porém, nunca se perdendo, se mantendo sempre coesa. O papel principal fica por conta dos teclados em geral, que desenvolvem o papel principal em relação ao campo melódico do disco, trazendo à tona uma sensação de Emerson, Lake & Palmer. Alguns sons suplementares são extremamente ricos e permitem que Ciclos exista em um mundo próprio.  

Esse disco costuma dividir as pessoas em dois grupos, onde de um lado temos aqueles que o apontam como uma verdadeira obra-prima, enquanto que do outro temos os que o acham uma obra pretensiosa e arrogante, devo admitir que embora eu me veja mais no primeiro grupo, consigo entender aqueles que se encontram no segundo. Eu entendo, mas não concordo, pois vejo Ciclos como uma jornada musical colossal, além de ambiciosa e de extrema riqueza, sendo executada com excelência do começo ao fim, elevando o nome da banda a um nível completamente novo em termos de complexidade musical.  

Assim como grandes álbuns de magnitude impressionante, estamos diante de um registro que precisa ser degustado por um bom período de tempo para que realmente seja compreendido tudo o que acontece. Mesmo que algumas partes do disco não funcionem tão bem quanto outras, é simplesmente impossível deixar de amar esse disco do começo ao fim, com a sua sonoridade única e bombástica vindo de um dos cantos muitas vezes esquecido dentro da cena da música progressiva europeia. Se você quer conhecer um dos gigantes musicais dá época, Ciclos jamais deve ser ignorado, pois ele colocou com muito louvor, uma Espanha – naquela época, bastante atrasada – dentro do mapa da música progressiva. Não tem como falar sobre cada uma das faixas separadamente, apenas o ponha para tocar e se deixe levar pelos seus pouco mais de setenta e três minutos de uma verdadeira massagem sonora das mais relaxantes e satisfatórias possíveis.  


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Tiago Meneses

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 28/09/2017

"Sou poeta, contista e apaixonado por música desde os primórdios da minha vida, onde o rock progressivo sempre teve uma cadeira especial."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaEloy - Dawn (1976)

    29/05/2020

  • Image

    ResenhaKing Crimson - Larks' Tongues In Aspic (1973)

    27/06/2018

  • Image

    ResenhaBig Big Train - Welcome To The Planet (2022)

    28/05/2022

  • Image

    ResenhaPink Floyd - Meddle (1971)

    22/02/2018

  • Image

    ResenhaYes - 90125 (1983)

    19/05/2018

  • Image

    ResenhaTurbulence - Frontal (2021)

    23/09/2021

  • Image

    ResenhaTriumvirat - À La Carte (1978)

    17/06/2020

  • Image

    ResenhaAnthony Phillips - Private Parts & Pieces VIII - New England (1992)

    01/05/2021

  • Image

    ResenhaDavid Gilmour - On An Island (2006)

    03/04/2020

  • Image

    ResenhaCampo di Marte - Campo Di Marte (1973)

    25/10/2017

Visitar a página completa de Tiago Meneses



Sobre o álbum

Cycles

Álbum disponível na discografia de: Los Canarios

Ano: 1974

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 5 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Cycles



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.