Resenha

The Red Veil

Álbum de SubArachnoid Space

2005

CD/LP

Por: Tiago Meneses

Colaborador Top Notch

08/02/2022



Bastante variado, consegue surpreender o ouvinte mesmo após inúmeras execuções

Quando escutamos um disco como, The Red Veil, da banda estadunidense Subarachnoid Space, percebemos também uma evolução evidente no seu som, saindo de uma banda de sonoridade mais pesada, psicodélica e improvisada e aterrissando em campos musicais mais polidos e bem estruturados, além de entregar algumas músicas mais sombrias e com toques de amargura. Vale mencionar que Mason Jones, guitarrista e fundador da banda, saiu após as gravações do disco anterior, sendo também esse um dos motivos de uma sonoridade diferente. Com Jason na banda, suas influências em Amon Düül, além de stoner rock e bandas não psicodélicos como Sonic Youth, era evidente em sua maneira de tocar. Podemos chamar The Red Veil de um disco de metal psicodélico? Claro, sem problema algum. No encarte é dito que o disco foi gravado ao vivo e o mais natural possível.  

 “Honorable Mention” é a peça de abertura. Define muito bem a atmosfera do disco por meio de sua sonoridade fria e perturbadora que tende mais para o lado do King Crimson do que do Pink Floyd – como em outros discos. Um rock assustador e muito enérgico, cheio de mudanças de ritmo e feito para ser ouvido no volume máximo, captando cada som que forma o peso distribuído por toda a parte. Um começo de disco incrível. “Ourobouros” é o nome de um símbolo místico que representa o conceito da eternidade, por meio da figura de uma serpente - ou dragão - que morde a própria cauda. É mais calma que a faixa anterior, mas ainda assim, possui – principalmente na sua primeira metade - uma paisagem sonora poderosa. Mais um ótimo som.  

“The Red Veil”, com os seus pouco mais de onze minutos é a faixa mais longa do álbum. Carrega uma instrumentação ambiente e stoner, tendo o seu primeiro minuto muito intenso antes de cair em uma sonoridade assustadora. Somente por volta dos cinco minutos a bateria regressa, enquanto que a peça vai ficando cada vez mais “barulhenta”, atingindo o seu ápice após os nove minutos, que é quando ela silencia novamente. Ainda há uma explosão instrumental nos últimos quinze segundos que servem como ponte para a faixa seguinte. Uma peça bastante inspirada, mas acho que não precisava ser tão longa, se arrastando desnecessariamente. “Trainable” começa com o peso deixado pela faixa anterior – mas logo silenciando, dando espaço apenas para uma bateria solitária. Assim que segundos depois, os demais instrumentos entram na música, mais uma vez percebemos uma banda criando paisagens sonoras aterrorizantes e deflagrações sônicas, além de ataques instrumentais raivosos. Apesar de ser a menor música do disco, também carrega um dos seus melhores momentos. 

“P.S.S.A.” mostra uma faceta um pouco mais jazzística da banda. A primeira parte é caótica onde os instrumentos parece que estão jantando um ao outro em uma “desgraça” sonora sem precedente. A segunda metade já mostra uma música digna de um filme de terror. A banda ainda acha tempo para entrar em uma musicalidade de metal mais direta. “Duster” é a peça que finaliza o disco. Possui uma introdução assombrosa, se tornando em seguida linda e melancólica à primeira vista, porém, vai crescendo em intensidade até atingir uma sonoridade poderosa no final. O disco termina com o mesmo tipo de atmosfera assustadora que o permeou durante todo os seus poucos menos de quarente minutos.  

Frio, assustador, horripilante, mas acima de tudo, muito inspirado. The Red Veil pode ser tranquilamente a trilha sonora de algum mundo assustador onde as regras não existem. Bastante variado, consegue surpreender o ouvinte mesmo após inúmeras execuções. Meu único problema com esse disco é que eu o achei curto demais.  


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Tiago Meneses

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 28/09/2017

"Sou poeta, contista e apaixonado por música desde os primórdios da minha vida, onde o rock progressivo sempre teve uma cadeira especial."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaThe Tea Club - General Winter's Secret Museum (2008)

    23/04/2020

  • Image

    ResenhaAngra - Holy Land (1996)

    23/03/2020

  • Image

    ResenhaFlying Colors - Flying Colors (2012)

    27/04/2018

  • Image

    ResenhaJean-Luc Ponty - Aurora (1976)

    31/03/2020

  • Image

    ResenhaYes - Yessongs (1973)

    06/05/2020

  • Image

    ResenhaVangelis - China (1979)

    02/06/2021

  • Image

    ResenhaVangelis - Beaubourg (1978)

    16/04/2020

  • Image

    ResenhaMarillion - Brave (1994)

    17/01/2022

  • Image

    ResenhaFrank Zappa - Hot Rats (1969)

    13/04/2021

  • Image

    ResenhaNovalis - Sommerabend (1976)

    21/04/2020

Visitar a página completa de Tiago Meneses



Sobre o álbum

The Red Veil

Álbum disponível na discografia de: SubArachnoid Space

Ano: 2005

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de The Red Veil



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.