Resenha

Soldier Of Love

Álbum de Sade

2010

CD/LP

Por: Roberto Rillo Bíscaro

Colaborador Especialista

22/09/2021



Um deleite de luxo

Em 1984, o synth-pop dominava o mercado fonográfico. Cascatas de teclados inundavam rádios e pistas de dança ao redor do planeta. Eis que ao final daquele ano, era lançado na Inglaterra o primeiro álbum de Sade. A canção Smooth Operator voou alto nas paradas britânicas e, em 1985, nas norte-americanas. No Brasil, foi tema de novela e tocou muito nas rádios.

Um memorável solo de sax, percussão latina, melodia suave, letra que fala sobre um homem que perambula pelos EUA vendendo seu amor (seria um playboy? um garoto de programa?) fizeram da canção uma surpresa entre os hits sintetizados da época. Pairando soberana sobre tudo isso, a voz aveludada e quente e a figura misteriosa, elegante, às vezes gélida, às vezes, não, de Sade Adu. Podre de chique, a cantora anglo-nigeriana virou diva instantânea.

O álbum de estreia, Diamond Life, vendeu horrores e colocou outras faixas nas paradas de sucesso. No ápice do glamour jeca de Dynasty, Sade aparecia clean, discreta, fina, um deslumbre. Estudara moda, trabalhara como modelo, a cantora era a materialização do sonho yuppie.

Devido às influências de jazz, soul, R’n’B, música latina e pop, a imprensa musical inglesa logo a classificou como New Bossa, espécie de conceito saco de gatos, que reunia grupos como Style Council, Matt Bianco, Everything But the Girl, Swing Out Sister. Em comum, todos eram sofisticados e alguns tinham influência de Bossa Nova.

Particularmente, sou fã de todos e de Sade tornei-me vassalo desde Smooth Operator... Ouvi a canção milhares de vezes, e continua tão excitante e esplendorosa como da primeira vez em que a escutei, há quase quatro décadas!

Sucederam-se álbuns e Sade manteve-se bem- sucedida nas vendagens e turnês. Sempre sofisticada, elegante, contida. Diva? Total. Mas, diva reclusa, low profile. Misteriosa e arredia. Com exceção de uma multa por excesso de velocidade na Jamaica, nenhuma outra aparição nos tabloides. Sade nunca deu escândalo. Cuidadosamente, construiu imagem de diva pop/jazz-pop que foge das badalações e nunca dá baixaria em público. Nas raras entrevistas, fala sedosa, baixa, contida. Sade É luxo!

Na econômica discografia, verdadeiros milagres. O grito de desespero final em Is It a Crime, depois de mais de 5 minutos e meio de contenção. A dramaticidade hispânica de Fear. Kiss of Life, que dá vontade de espojar-se e perder-se entre lençóis e almofadas de cetim... A dor abissal do relacionamento por terminar e da vida sem perspectiva de King of Sorrow (I'm crying everyone's tears /I have already paid for all my future sins...)

Em novembro de 2000, Sade lançou Lover´s Rock e depois 10 anos de silêncio, exceto pelo ao vivo Lover’s Live. No mundo pop 10 anos é eternidade, que vê artistas irem e virem. Quase toda geração anos 80, hoje não passa de nomes lembrados por cinquentões como eu. Ano passado, uma aluna me perguntou se “um tal de George Michael” tinha sido famoso. Normal, eu também faria a mesma pergunta acerca de algum artista dos anos 60...

No final de 2009, ouvi que Sade lançaria álbum novo. Esperei ansioso pelo lançamento, dia 08 de fevereiro, de 2010. Li que o álbum estava sendo aguardado com ansiedade por muita gente. Soldier of Love era o segundo álbum na lista de pré-ordens na Amazon! A faixa-título estava tocando nas rádios, não apenas nas voltadas para coroas, mas nas jovens também! Como boa diva, Sade era aguardada com avidez.

Vi algumas fotos, assisti a um par de entrevistas; ela continuava linda, esbelta, chique, misteriosa, quieta.

Na nublada tarde do dia seguinte ao lançamento de Soldier of Love, apertei a tecla play e me deitei para ouvir o tão aguardado álbum da então cinquetona Sade.

Começa o álbum: guitarra plangente, flutuando sobre naipe de cordas, entra teclado agudo ao fundo, baixo gorducho, percussão tipicamente Sade. Aos trinta segundos, uma voz que soa por fração de segundos um pouco mais madura do que eu estava acostumado, mas imediatamente assume o tom aveludado de antes. Sade em plena forma e colocando o coração para fora, em uma letra sobre a dor do amor, tema que predomina no álbum. The Moon and the Sky – que me remeteu a King of Sorrow – é, disparada, minha faixa predileta do álbum. Clássico instantâneo da banda (Sade Adu é o nome da moça e Sade o da banda).

Soldier of Love, a faixa-título, é a coisa mais moderna e menos Sade que Sade já fez! Perfeita simetria entre forma e tema. A letra estabelece diversas comparações entre o amor e um campo de guerra. A música abre com corneta que lembra algum toque do exército; a batida da percussão é seca, quadrada, militar. Lembra um pouco trip-hop. Por isso tocou nas rádios para jovens!

O resto do álbum é pura Sade! Influência de reggae, pop, jazz, soul, spiritual norte-americano e até uma batida que lembra sambinha na abertura da fofa e aerada Baby Father.

A maioria das letras fala sobre a dor do amor e relacionamentos doloridos, o que faz Soldier of Love um álbum algo sombrio, mas não sem esperança de que um novo amor nasça.

Economia nos arranjos, letras reveladoras, a maturidade da voz enfumaçada de Sade, os toques modernos de algumas canções e a idiossincrasia de não se render á pasteurização ou ao saudosismo são alguns dos elementos que tornam Soldier of Love um deleite de luxo, que só podia ter vindo de Sade!


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Nível: Colaborador Especialista

Membro desde: 11/09/2017

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaGal Costa - Estratosférica (2015)

    16/02/2021

  • Image

    ResenhaProg Rock Britannia

    04/06/2021

  • Image

    ResenhaPitanga em Pé de Amora - Pontes para Si (2014)

    27/01/2021

  • Image

    ResenhaSertanília - Ancestral (2012)

    06/09/2020

  • Image

    ResenhaThe Handsome Family - Singing Bones (2003)

    12/06/2021

  • Image

    ResenhaRumer - Love Is The Answer (2015)

    01/12/2020

  • Image

    ResenhaAndrio Maquenzi - Contracorrente (2020)

    13/02/2021

  • Image

    ArtigoPhil Collins: Trocado por mais jovem e impedido de entrar em casa

    17/10/2020

  • Image

    ArtigoO Homem da Vida de George Michael Foi Um Brasileiro

    12/05/2018

  • Image

    ResenhaSting - The Soul Cages - Expanded Edition (2021)

    25/01/2021

Visitar a página completa de Roberto Rillo Bíscaro



Sobre o álbum

Soldier Of Love

Álbum disponível na discografia de: Sade

Ano: 2010

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 3,25 - 2 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Soldier Of Love



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.