Resenha

Come Taste The Band

Álbum de Deep Purple

1975

CD/LP

Por: Márcio Chagas

Colaborador Sênior

18/03/2018



O Hard Britânico se encontra com o Soul americano

A história começa com a saída do temperamental Ritchie Blackmore do grupo.  O músico vinha se mostrando bem insatisfeito com o direcionamento musical do grupo, cada vez mais influenciado por funk* e soul, cortesia dos recém chegados Glenn Hughes e David Coverdale. Assim não lhe restou alternativa  não ser abandonar o barco e fundar outra banda de rock pesado, o mítico Rainbow.

Frustrados com o abandono de mais um membro original (Ian Gillan e Roger Glover haviam saído anos antes), os remanescentes da formação clássica,  Jon Lord e Ian Paice pensavam em acabar com o grupo e partir para novos projetos. A dupla tinha o apoio do baixista/vocalista Hughes, que estava louco pra se lançar em carreira solo encharcada de soul e funk, seus estilos preferidos. Coube ao Vocalista Coverdale acalmar os ânimos e incentivar o grupo a seguir em frente. O músico havia escutado o CD "Spectrum" do baterista panamenho Billy Cobhan e se impressionado com o guitarrista que tocara ali. Seu nome era Tommy Bolin e seu estilo se encaixaria ainda melhor no direcionamento musical pretendido pelo "novo " grupo.

Uma ligação para o músico e algumas Jam sessions  feitas  em um galpão foi  certeza que todos esperavam: Tommy Bolin seria o novo guitarrista do Deep Purple.

As composições de Glenn Hughes e David Coverdale haviam encontrado a parceria ideal na guitarra multicultural de Bolin, que possuía um jeito muito diferente do Blackmore. Enquanto este último era um roqueiro fanático que possuía um leve interesse em música clássica, Bolin tinha uma estilo muito mais amplo. Rockeiro também, mas com influências de jazz, fusion, soul e até mesmo música pop.  Uma guitarra muito mais malandra e versátil, capaz de se adaptar e fundir estilos. Bolin era um diamante a ser lapidado. De guitarrista novo e cheio de energia, o grupo coloca no mercado em 1975 o excelente "Come Taste The Band".

De cara o grupo abre com "Comin´Home", um verdadeiro tratado de como se fazer rock pesado. Aqui o grupo prova que não importa quem faz parte dele, o legado púrpuro e sua habilidade em fazer grandes canções continuaria intacto. "Lady Luck" é mais melodiosa e traz uma performance irrepreensível e passional de David Coverdale. "Gettin´Tighter" é um tratado sobre como fundir rock com funk e acentos  de soul na medida certa, uma das melhores faixas do CD. O groove e o slide malemolente de Bolin nesta faixa são fenomenais! "Dealer" traz de volta o estilo do antigo Purple, ou seja: Vocal emocional de Covardele, cantado em cima do riff de guitarra. Vale destacar um solo inspirado de Bolin com uma soberba técnica de slide. "I Need Love",composição de Bolin e Coverdale poderia muito bem estar em um álbum do Whitesnake dosanos 70, pois é uma canção bluesy com forte acento soul. 

"Drifter" é mais pesada , com um belo riffsobre andamento sincopado, amparada por uma base irrepreensível. "Love Child" traz uma excelente base de guitarra, e uma participação maior de Jon lord, que consegue imprimir seus teclados de maneira diferente, se adequando a nova proposta musical do grupo e mostrando que também é bom de swing.  "This time Around"é mais um tema encharcado de soul, onde Hughes faz os vocais principais e brilha intensamente amparado pelo piano de Lord, os dois compositores da canção. Segue junto a Ela "OwedTo G" um tema instrumental composto por Bolin que mostrava bemo entrosamento do grupo. Na verdade esta canção tem como finalidade mostrar que o recém-integrado Tommy Bolin era um guitarrista tão bom quando o dissidente Ritchie Blackmore. Seus solos inspirados levando sua guitarra à frente do tema mostram que de fato sua técnica era até mesmo superior. "you Keep On Moving" encerra o trabalho com um belíssimo dueto vocal entre Hughes e Coverdale. Uma balada midi tempo encharcada de swing e soul. 

De saldo final temos um disco irrepreensível, no qual o grupo soube dosar a influência de cada integrante sem descaracterizar o hard pesado que havia marcado as antigas formações. Após40 anos de seu lançamento "Come Taste The Band" Se mostra um discobrilhante, que sobreviveu ao tempo e tem como único defeito o fato de possuir apenas 9 canções.

*NOTA: Quando utilizei da palavra "funk" em vários momentos da matéria acima, não quis me referir ao funk carioca, muito popular nos dias atuais, mas sim o funk americano, popularizado na década de 70 por nomes como Jams Brown, George Clinton e Stevie Wonder. 


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Márcio Chagas

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/04/2018

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaThe Michael Schenker Group - The Michael Schenker Group (1980)

    30/09/2020

  • Image

    ResenhaPremiata Forneria Marconi - Jet Lag (1977)

    04/07/2019

  • Image

    ResenhaMark Isham - Blue Sun (1995)

    13/04/2019

  • Image

    ArtigoGuitarra rítmica: A base do rock!

    02/03/2019

  • Image

    ResenhaIron Maiden - Killers (1981)

    10/04/2019

  • Image

    ResenhaBlack Star Riders - Another State Of Grace (2019)

    10/04/2020

  • Image

    ResenhaEd Motta - Dwitza (2002)

    19/09/2018

  • Image

    ArtigoAs Grandes Cozinhas do Rock: Unidade entre baixistas e bateristas

    25/08/2018

  • Image

    ArtigoVariações sobre um mesmo tema: Led Zeppelin “No Quarter”!

    02/09/2021

  • Image

    ResenhaUFO - Force It (1975)

    27/06/2020

Visitar a página completa de Márcio Chagas



Sobre o álbum

Come Taste The Band

Álbum disponível na discografia de: Deep Purple

Ano: 1975

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,19 - 13 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Come Taste The Band:

  • 09
    jan, 2020

    Despedindo-se dos anos setenta com mais um clássico

    User Photo Marcel Dio

Visitar a página completa de Come Taste The Band



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.