Resenha

Homage

Álbum de Jimmy Somerville

2015

CD/LP

Por: Roberto Rillo Bíscaro

Colaborador Especialista

24/02/2021



Perito e saltitante

Nos anos 80, Jimmy Somerville foi razoavelmente famoso na Europa e Austrália e desfrutou de algum sucesso nos EUA. Como vocalista de 2 grupos synthpop de status mediano, o escocês periga não ter o nome conhecido pelo público médio, mais ligado numa ou noutra canção. Em 1984, à frente do Bronski Beat, conheceu o sucesso com Smalltown Boy, usada na trilha da novela Um Sonho A Mais (1985) e citada no álbum The Desired Effect (2015), de Brandon Flowers. Sempre explícito sobre sua postura política trabalhista anti-Thatcher, o Bronski Beat chegou a tocar em apoio aos mineiros galeses em greve, conforme retratado no filme Orgulho e Esperança.

Em 1985, cofundou a dupla The Communards, com Richard Coles, hoje membro da Igreja da Inglaterra. Misturando elementos de High-NRG e disco music ao agonizante synthpop como subgênero comercialmente predominante, o The Communards garantiu seu nome na história do pop britânico, pelo menos como efeméride: a regravação de Don’t Leave Me This Way, originalmente gravada por Harold Melvin and The Blue Notes, foi o single mais vendido na ilha, em 1986. A versão dos Communards foi calcada na da diva disco Thelma Houston.

Em 88, Jimmy ficou de mal com Coles, saiu em carreira-solo e no ano seguinte regravou You Make Me Feel (Mighty Real), clássico disco na voz do falecido Sylvester, cujo falsete Somerville sempre emulou. Read My Lips, o primeiro solo, colocou alguns singles no Top 30 britânico, sinalizando pra Polygram que era hora de lançar álbum de grandes sucessos, forma das gravadoras dizerem que o período áureo [=lucrativo] de um artista já passara. Nos 90’s/00’s/10’s, o cantor lançou álbuns esporádicos em selos menores. 

Homage revisita a era disco music. Jimmy entende do babado e o resultado ficou saltitante e perito.

A ideia era reproduzir a sonoridade disco com seus cacoetes mais característicos, então, está tudo lá: baixo rebolativamente balofo, naipe de metais, onipresença daqueles arranjos de cordas à Hooked On Classics e todos ruídos que nos fazem imaginar estar no Dancin’ Days, com globo espelhado, dançando no Studio 54, com Sônia Braga.
 
Homage merece ser comentado mais no atacado do que no varejo. Ao invés de apontar influências em faixas como Back To Me e dizer que é fusão de Delegation com KC & The Sunshine Band, melhor dizer que 9 das 12 canções são puro deleite dançável, onde você ouvirá de Chic a The Trammps, passando por Sister Sledge e eurodisco e remetendo a canções como Born To Be Alive (1079), de Patrick Hernandez.

Somerville ferve, lacra, diva em pauladas dance como Strong Enough, Travesty, Lights Are Shining e Bright Thing. Desde sempre do lado de fora do armário, na nilerodgeriana Freak ele grita que precisa de homem que o entenda. A voz continua arejada, aguda, embora na faixa de abertura, Some Wonder, alguns segundos me deixaram apreensivos pelo resto, mas à altura da faixa 2 eu já estava quase dançando na esteira (Homage é delícia pra ouvir malhando); pura alegria disco berrada, com instrumentos de verdade tocados por gente real. Não que eu tenha algo contra música sintética (we are the robots, we are the robots), mas há certa organicidade que só a disco music possui.

Bem no centro de Homage, fica The Core, midtempo que evoca o esquecido Eruption ou a diva de outrora, Grace Jones. Learned To Talk fecha o álbum com outra baixada no ritmo. Sorte que a tônica de Homage não é a dessas canções, nada especial.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Nível: Colaborador Especialista

Membro desde: 11/09/2017

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaAlvvays - Antisocialites (2017)

    15/06/2021

  • Image

    ResenhaPC Silva - Amor, Saudade e Tempo (2020)

    08/12/2020

  • Image

    ResenhaThieves' Kitchen - The Clockwork Universe (2015)

    04/02/2021

  • Image

    ResenhaDreamcar - Dreamcar (2017)

    30/07/2020

  • Image

    ResenhaColourbox - Colourbox (1985)

    16/07/2019

  • Image

    ResenhaIrene Bertachini - Revoada (2017)

    09/03/2020

  • Image

    ResenhaRegina Belle - The Day Life Began (2016)

    17/12/2020

  • Image

    ResenhaA-HA - Hunting High and Low (1985)

    07/12/2017

  • Image

    ResenhaLuiza Brina - Tenho Saudade Mas Já Passou (2019)

    21/06/2020

  • Image

    ResenhaGenesis - Foxtrot (1972)

    21/09/2017

Visitar a página completa de Roberto Rillo Bíscaro



Sobre o álbum

Homage

Álbum disponível na discografia de: Jimmy Somerville

Ano: 2015

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 3 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Homage



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.