Resenha

Under A Mediterranean Sky

Álbum de Steve Hackett

2021

CD/LP

Por: Tiago Meneses

Colaborador Top Notch

06/02/2021



Um dos artistas mais inovadores do rock progressivo ainda se desafiando

Antes deste lançamento, Steve Hackett já havia se aventurado em outros álbuns completamente acústicos Bay Kings, Tribute, Metamorpheus, Momentum e A Midsummer Night's Dream. Havia doze anos que o guitarrista não compunha um álbum neste formato, sendo que esse hiato parece ter feito muito bem a ele, pois conseguiu escrever um disco simplesmente maravilhoso. Algo que vou tentar evitar aqui são comparações em relação aos discos anteriores neste formato, preferindo simplesmente focar nas qualidades de Under A Mediterranean Sky - que inclusive são muitas. 

Under A Mediterranean Sky é um disco inspirado por extensas viagens que Hackett teve ao lado de sua esposa pelo mediterrâneo. O álbum é completamente instrumental e pode ser visto como uma espécie de diário sobre essas viagens. Musicalmente, através de suas cordas de nylon, Hackett mostra que nomes como, Andres Segovia, Julian Bream e John Williams não apenas o inspiram, mas o fazem caminhar lado a lado com eles dentro da patente de mestre do violão clássico. Durante as suas onze faixas, podemos ver um disco explorado em vários caminhos que vão desde a música clássica europeia até uma linha mais frenética de folk do Oriente Médio, inclusive, utilizando instrumentos menos comuns como duduk e tar. 

“Mdina (The Walled City)”, faixa que dá início ao disco, com os seus quase nove minutos também é a maior delas. Uma verdadeira espécie de mini concerto para violão clássico e orquestra. Possui uma força imponente que consegue ser muito bem retratada por uma orquestração dramática – créditos de Roger King. Em alguns pontos a um aceno a Stravinsky, além de possuir quebras de violão romântico e de influência espanhola e seções de cordas pastorais brilhantes. Um começo de disco não apenas lindo, mas também ousado e teatral. 

“Adriatic Blue” é um verdadeiro estudo contemplativo que se encaixa no estilo mais clássico de Hackett. O músico colore com tonalidades encantadoras, uma música que parece desenhar um cenário deslumbrante como os do alto de penhascos de montanhas arborizadas que serviram de inspiração para a criação do álbum. 

“Sirocco” possui uma sonoridade muito mais atmosférica e inspirada nos ventos selvagens dos desertos. Ao mesmo tempo em que Hackett consegue tirar melodias sedutoras do seu violão, ele também consegue exercer linhas furiosas que são golpeadas por ritmos marroquinos. 

“Joie de Vivre” é mais uma faixa incrível onde Hackett como de costume consegue mostrar toda a sua capacidade para uma invenção melódica genial. O resultado é a demonstração de um amor doce – sem ser necessariamente enjoativo – com a cultura francesa, seja pelo vinho, comida ou a música folclórica. 

“The Memory of Myth” começa com uma profundidade de arranhar o coração através do violino de Christine Townsend. Aqui Hackett escolhe a guitarra flamenca para desenvolver uma verdadeira lágrima musical. Esta faixa tem a capacidade de ser tão dolorosamente bela e melancólica quanto uma tragédia grega. 

“Scarlatti Sonata” é a única faixa do álbum que não é original, sendo uma releitura da obra de Domenico Scarlatti. Do começo ao fim, Hackett dedilha seu caminho através de uma variação tão incrível da melodia original, que chega a assustar, soando extremamente atemporal e fresca. Uma interpretação sensível embelezada com trinados de cordas cruzadas, uma técnica introduzida a Hackett pelo excelente violonista clássico, o falecido Theo Cheng. Uma verdadeira aula. 

“Casa del Fauno” logo quando começa podemos pensar em vários filmes o qual ela poderia ser trilha sonora, como se fosse algo criado por Hans Zimmer. Uma valsa sedutora onde segundo o próprio Hackett foi inspirada por uma visita a Pompéia. Além do violão clássico, também conta com violino e flauta exuberante que unidos formam uma verdadeira tapeçaria de som que encanta do começo ao fim. 

“The Dervish and the Djin” é uma dança cigana e que é possível perceber que existe um aceno para o lado mais sombrio de Hackett. Novamente segundo palavras do próprio Hackett, a ideia era capturar a atmosfera extraordinária de uma civilização – sendo neste caso a da Pérsia. Saxofone, tar e duduk são outros instrumentos que ajudam com que a música possua uma maior intensidade. 

“Lorato” significa amor na língua da tribo africana de Tswana. Uma peça folclórica que é belíssima. Tem como mensagem o fato do amor ter a força da cura que une todos os povos díspares do Mediterrâneo. 

“Andalusian Heart”, se você espera encontrar algo que lembre o Genesis neste álbum, esta é a faixa onde isso passa mais perto de acontecer. Seu nome é uma maneira de Hackett expressar sua admiração pelos violinistas de Andaluzia. Instrumentação intrincada e linhas de violão sobressalentes, além de algumas ondas sinfônicas. Podemos facilmente imaginar esta faixa como parte de Wind And Wuthering – seu último disco com o Genesis. Talvez mostre até mesmo a direção que o Genesis tomaria se Hackett não tivesse saído. 

“The Call of the Sea” é a cereja do bolo e fecha o álbum em grande estilo. Mais um concerto belíssimo de violão clássico que apenas confirma a enorme capacidade de Hackett como instrumentista. Durante as pausas para violão solo que Hackett costuma fazer em seus shows, esta pode com certeza se transformar em uma queridinha dos fãs ao lado de, “Horizons”, do Genesis em relação a esses momentos. 

Existem muitos guitarristas de rock que conseguem fazer um bom som acústico, mas Hackett se enquadra na categoria de um guitarrista clássico verdadeiramente maduro e estabelecido. Um dos artistas da era de ouro do rock progressivo mais prolífico e que parece seguir se desafiando, sempre através de uma música que consegue abrir novos caminhos ao mesmo tempo em que mantém viva a chama do progressivo clássico.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.


2 comentários:

user

André Luiz Paiz 03/12/2021

Webmaster

03/12/2021

Belo texto Tiagão. Estive degustando esse álbum durante a semana e me impressionei com a qualidade musical. Impressionante a versatilidade desse cara. Cresceu muito ao sair do Genesis e segue se desafiando.

user

Tiago Meneses 15/12/2021

Colaborador Top Notch

15/12/2021

Steve Hackett é um gênio. Não quer ser visto apenas como um dinossauro do rock progressivo, mas também quer se manter sempre relevante.

Faça login para comentar



Sobre Tiago Meneses

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 28/09/2017

"Sou poeta, contista e apaixonado pela música progressiva em todas as suas facetas."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaA.C.T - Imaginary Friends (2001)

    23/10/2020

  • Image

    ResenhaZaragon - No Return (1984)

    08/11/2021

  • Image

    ResenhaIQ - Ever (1993)

    21/01/2020

  • Image

    ResenhaMaudlin of the Well - Part The Second (2009)

    25/06/2020

  • Image

    ResenhaO Terço - Criaturas da Noite (1974)

    13/04/2018

  • Image

    ResenhaNeal Morse - Momentum (2012)

    19/01/2019

  • Image

    ResenhaGiles, Giles & Fripp - The Cheerful Insanity Of Giles, Giles And Fripp (1968)

    08/07/2020

  • Image

    ResenhaAyreon - The Human Equation (2004)

    08/03/2020

  • Image

    ResenhaAlphataurus - Alphataurus (1973)

    19/01/2019

  • Image

    ResenhaVan Der Graaf Generator - Godbluff (1975)

    04/10/2017

Visitar a página completa de Tiago Meneses



Sobre o álbum

Under A Mediterranean Sky

Álbum disponível na discografia de: Steve Hackett

Ano: 2021

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,33 - 3 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Under A Mediterranean Sky



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.