Resenha

Titanic

Álbum de Titanic

1970

CD/LP

Por: Tiago Meneses

Colaborador Top Notch

16/01/2021



Fãs de Deep Purple e Uriah Heep podem se interessar pela música da banda

A banda norueguesa Titanic foi – ou ainda é, não se se estão de volta a ativa - uma banda de ótimos músicos e um bom vocalista que assim como tantos outros casos de outros países, decidiu cantar em inglês, muito provável para que a música do grupo pudesse atingir o sucesso comercial com mais facilidade. Em seu primeiro álbum, eles parecem querer fazer uma homenagem ao som de suas bandas favoritas sem a necessidade que sejam covers, como Santana, Procol Harum, Beatles, Cream e Jethro Tull, mas também direcionando sua música para algo apenas deles, sendo assim, não precisa que ninguém se preocupe em relação a falta de estilo próprio ou coisas do tipo. 

“Searchin” é a faixa que inicia o disco. Ela possui exatamente o arquétipo de uma faixa forte de heavy-prog – não que a banda possui este estilo, mas aqui ela soa muito nessa linha. O trabalho de órgão é muito bom, só que mais tímido do que o feito por lendas como Lord e Hensley. Vale a menção do ótimo trabalho de percussão ainda antes do meio da faixa que remete muito ao Santana. Um começo de disco bombástico. 

“Love is Love” faz com que o disco continue com o clima pesado e psicodélico. É novamente uma faixa bastante poderosa e dinâmica. A seção rítmica mostra o baixo e bateria de forma deslumbrante. “May Jane” direciona o álbum para uma linha mais de balada. É incrível ver que os arranjos desta faixa foram assinados por William Sheller (um cantor francês muito popular, mas quase desconhecido naquela época). Uma música romântica - não muito comovente - voltada principalmente para o teclado. 

“Cry for a Beatle” possui um nome que me faz pensar que se trata de uma homenagem ao Fab Four. Ligeiramente jazzística e com uma atmosfera que parece ter a intenção de soar melódica. É uma boa faixa, mas neste caso eu não posso dizer que chega a me cativar. 

“Something On My Mind” é a música mais pesada do disco e sua introdução soa quase como um doom, sendo uma faixa mais voltada para guitarra, sai um pouco da ideia de que o que caracteriza a banda é o uso de órgão – no caso, sai da ideia só agora mesmo, pois no geral é exatamente isso. Eu adorei esse som. 

Agora queria falar rapidamente sobre as próximas duas curtas faixas, “Firewater” e “Schizmatic Mind”, ambas são fracas em comparação a tudo que foi apresentado até aqui. “Firewater” carrega alguns usos de metais que particularmente acho que ficaram completamente deslocados, enquanto que “Schizmatic Mind” é um som meio antiquado sem o mesmo vigor de outras faixas, 

“I See no Reason” é a maravilhosa faixa que encerra o disco. Começa de forma serena como uma balada de rock clássico – novamente com órgãos e baixo poderosos – e vai entrando em uma crescente maravilhosa cheias de tons muito agradáveis, bem como alguns ótimos vocais de apoio. A faixa acelera para que seja oferecido um solo de guitarra bastante emocional – e pra mim o melhor entre todas as músicas da banda. Pode ser considerado um excelente momento de música progressiva pesada. Um final incrível para o disco.  

No fim das contas, apesar de algumas derrapagens, um disco bastante sólido, uma estreia muito segura com muito hammond e guitarras fortes quando acionadas. Considero que fãs principalmente de Deep Purple e Uriah Heep podem se interessar pela música da banda.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Tiago Meneses

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 28/09/2017

"Sou poeta, contista e apaixonado por música desde os primórdios da minha vida, onde o rock progressivo sempre teve uma cadeira especial."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaMaxophone - Maxophone (1975)

    28/03/2018

  • Image

    ResenhaNeal Morse - ? (2005)

    10/04/2021

  • Image

    ResenhaAnglagard - Viljans Öga (2012)

    06/12/2018

  • Image

    ResenhaRenaissance - Novella (1977)

    07/02/2022

  • Image

    ResenhaWarhorse - Warhorse (1970)

    17/06/2020

  • Image

    ResenhaDevin Townsend - Devin Townsend Project: Ki (2009)

    24/11/2020

  • Image

    ResenhaIQ - Subterranea (1997)

    29/02/2020

  • Image

    ResenhaHiromi Uehara - The Trio Project: Voice (2011)

    18/05/2021

  • Image

    ResenhaGenesis - Foxtrot (1972)

    15/10/2017

  • Image

    ResenhaRick Wakeman - Aspirant Sunshadows (1991)

    22/03/2021

Visitar a página completa de Tiago Meneses



Sobre o álbum

Titanic

Álbum disponível na discografia de: Titanic

Ano: 1970

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 3 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Titanic



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.