Resenha

Whoosh!

Álbum de Deep Purple

2020

CD/LP

Por: José Esteves

Colaborador Especial

24/12/2020



O disco mais sombrio do Deep Purple

Com a recepção positiva que o inFinite recebeu, mesmo com todo o clima de finalidade que ele tinha, a banda continuou projetos para o lançamento do seguinte. Três anos depois, o álbum estava finalizado, mas por conta da pandemia, empurraram o álbum para um lançamento em agosto. O álbum foi bem recebido, sendo o primeiro álbum a chegar no top 5 no Reino Unido desde o Burn em 1974, além de figurar em tabelas ao redor do mundo, figurando no top 200 da Billboard (por pouco tempo).

Esse é, facilmente, o álbum mais sombrio que o Deep Purple jamais lançou, ao mesmo tempo em que ele não compromete a essa decisão integralmente. Instrumentalmente, o álbum se posiciona em algum lugar entre o Now What!? e o inFinite com algumas faixas em que o Don Airey e o Steve Morse estão completamente sincronizados, e outros em que parece ter algumas falhas de comunicação. Quem mostra estar sincronizado nesse álbum são o Roger Glover e o Ian Paice, que mostram qualidade na base, como quase sempre demonstraram, mas dessa vez, o Roger Glover se apresenta mais, com algumas linhas de baixo bem forte. E para completar o quadro, Ian Gillan não faz nada muito elaborado, o que é ótimo: em compensação, em um dos momentos mais confusos da história da banda, ele narra um trecho meio apocalíptico, o que se mescla ao obscurantismo do álbum.

Quase todo o corpo tem um elemento desconfortável de mortalidade, o que combina com o conceito do álbum e com o fato de que os membros estão envelhecendo e provavelmente encarando essa realidade nos olhos. Todas as faixas são curtas e poucas deixam gosto de quero mais, apesar de haver uma falta de solos épicos longos, as músicas mantém a qualidade alta: o uso de cordas na abertura, “Throw My Bones”, funciona muito bem (de uma forma inédita para a banda) e as mais puxadas para o blues (“Drop the Weapon” e “No Need to Shout”) funcionam muito bem. O resto do álbum é basicamente faixas com tom de morte (“Man Alive”), ou que parecem trilha sonora de filme schlock horror (“Remission Possible”) e a bizarra inclusão de uma versão do instrumental do primeiro álbum, “And the Address”. Mais do que o inFinite, esse parece ser o último álbum da banda, o que é um pesar, pois a direção que esse álbum tomou é uma direção não muito convencional para o grupo.

A melhor faixa do álbum é a mais leve “What the What”, com um throwback para o rockabilly mais leve, o que funciona bem com o piano do Don Airey e a guitarra do Steve Morse. Se fosse qualquer outra banda, teria sido apenas algo dos anos sessenta e setenta, mas a habilidade que o Deep Purple sempre teve de manter um som específico transforma essa faixa em algo a mais, mas talvez não tenha sido o melhor para o momento. É quase que literalmente a única faixa feliz de um álbum sombrio, então por mais que seja a melhor, definitivamente não é representativa do álbum como um todo.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre José Esteves

Nível: Colaborador Especial

Membro desde: 26/08/2020

"Eu gosto muito de rock clássico e tenho um blog de resenhas minhas em disconomicon.wordpress.com. Minhas bandas preferidas são Deep Purple, Queen, Beatles e Pink Floyd e tento também ouvir o que está mudando o cenário nos dias de hoje."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaRainbow - Ritchie Blackmore's Rainbow (1975)

    24/11/2020

  • Image

    ResenhaBlack Sabbath - Sabbath Bloody Sabbath (1973)

    17/11/2020

  • Image

    ResenhaThe Moody Blues - Days Of Future Passed (1967)

    29/08/2020

  • Image

    ResenhaPink Floyd - Obscured By Clouds (1972)

    14/10/2020

  • Image

    ResenhaLed Zeppelin - Led Zeppelin II (1969)

    02/03/2021

  • Image

    ResenhaPaul McCartney - McCartney (1970)

    16/12/2020

  • Image

    ResenhaCreedence Clearwater Revival - Mardi Gras (1972)

    28/10/2020

  • Image

    ResenhaThe Beatles - Please Please Me (1963)

    04/02/2021

  • Image

    ResenhaBlack Sabbath - Paranoid (1970)

    21/09/2020

  • Image

    ResenhaYes - Yes (1969)

    25/09/2020

Visitar a página completa de José Esteves



Sobre o álbum

Whoosh!

Álbum disponível na discografia de: Deep Purple

Ano: 2020

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4 - 6 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Whoosh!:

  • 15
    jun, 2021

    Experiência musical bem abrangente

    User Photo Fábio Arthur
  • 21
    ago, 2020

    A "sequência" melhorada de Infinite

    User Photo Marcel Dio
  • 08
    ago, 2020

    Purple resgata o "Deep" e lança seu melhor álbum em 20 anos!

    User Photo Márcio Chagas

Visitar a página completa de Whoosh!



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.