Resenha

Heavy Rock Spectacular

Álbum de Bram Stoker

1972

CD/LP

Por: Tiago Meneses

Colaborador Especialista

16/12/2020



Ótima mistura de virtuosismos instrumentais e vocais melódicos bem variados

Até o ano de 2014, este foi o único disco lançado pela banda – tendo lançado já outros três desde então. O disco se trata de um maravilhoso heavy hard com algumas intermináveis ondas de um trabalho de órgão hammond, linhas prolixas de guitarra e uma ótima mistura de virtuosismo instrumental e alguns vocais melódicos bastante variados. Como comparativo, a primeira banda que vem em mente é a Atomic Rooster, mas neste caso também com umas influências mais clássicas como The Nice e que funciona muito bem. Mas qualquer pessoa que goste do som de bandas como Bodkin, Rare Bird e Beggars Opera provavelmente encontrará muito do que ser desfrutado aqui. 

O álbum possui uma enorme força e tenho certeza que os quatro músicos envolvidos devem ter ficado bastante orgulhoso do resultado obtido nele, sendo o álbum podendo ser chamado de um verdadeiro clássico obscuro e underground. Uma pena mesmo é que mesmo com esse potencial a banda não lançou mais nada na época – demorando mais de quarenta anos pra voltar a produzir de novo. O álbum possui oito composições melódicas e dinâmicas que são encharcadas de órgão Hammond, a guitarra elétrica é frequentemente distorcida, produzindo alguns solos ardentes, mas em geral se posiciona mais ao fundo.

Das faixas que possuem vocais, é “Born To Be Free” que dá o pontapé inicial no álbum no maior estilo Atomic Rooster, um rock rasgado com muito órgão hammond e guitarra. Com um refrão matador, a faixa é insanamente cativante e gloriosamente otimista, sendo algo que contrasta estranhamente com a letra pessimista – até nisso a banda parece ter se influenciado pela Atomic Rooster. “Blitz” é com certeza a mais marcante entre as peças que possuem vocais, um conto bastante sombrio e inquietante. Durante toda a música existe um baixo pesado, além de ter como destaque um pouco de incursão de guitarra com certa influência espanhola – não facilmente perceptível - muito bem trabalhada em um tom dark para dar um efeito emocional. 

“Idiot” tem um refrão que soa até mesmo bastante cafona, mas se você for fã principalmente do primeiro disco da Beggars Opera, certamente a possibilidade de gostar desta faixa é bem grande, já que ela compartilha do mesmo tipo de energia e uma aura meio circense. “Extensive Corrosion” tem uma ótima seção intermediária com uma combinação de piano/órgão seguido por alguns solos de hammond que eu acho que até mesmo Keith Emerson teria se orgulhado de ver na época. “Poltergeist” é uma faixa bombástica e cheia de drama, mas o seu refrão repetido em expansão eu acho um pouco preguiçoso. 

Agora falando um pouco sobre cada uma das três faixas instrumentais. “Ants” possui um trabalho deslumbrante, mais uma vez mostrando acenos ao Emerson, Lake & Palmer, além de Trace e The Nice. Possui também uma excelente bateria. “Fast Decay” continua da mesma maneira, enquanto que também incorpora seções de Toccata in D-Fuga de Bach. O verdadeiro destaque aqui fica por conta do baixo bastante pulsante por toda a parte. “Fingals Cave” é aparentemente outra interpretação clássica e que também funciona muito bem no álbum, o órgão bem encaixado, baixo e bateria em uma seção rítmica deliciosa, além de um rico trabalho de guitarra elétrica – ainda que não tão em destaque. Há uma adorável leveza jazz em alguns momentos que também servem uma menção. 

Resumindo, um disco que possui composições com uma enorme carga de densos órgãos hammond e composições cruas cheia de anormalidades instrumentais estendidas. Durante a resenha foi mencionada o nome de algumas bandas, pois bem, qualquer fã das bandas mencionadas acima, eu tenho certeza que irá gostar muito deste disco também.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Tiago Meneses

Nível: Colaborador Especialista

Membro desde: 28/09/2017

"Sou poeta, contista e apaixonado por música desde os primórdios da minha vida, onde o rock progressivo sempre teve uma cadeira especial."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaRush - Moving Pictures (1981)

    02/10/2017

  • Image

    ResenhaMarco Antonio Araujo - Lucas (1984)

    20/04/2018

  • Image

    ResenhaTitanic - Titanic (1970)

    16/01/2021

  • Image

    ResenhaDream Theater - Six Degrees Of Inner Turbulence (2001)

    03/10/2017

  • Image

    ResenhaJacula - Tardo Pede In Magiam Versus (1972)

    26/04/2020

  • Image

    ResenhaQueen - Hot Space (1982)

    06/03/2018

  • Image

    ResenhaTaurus - Opus I: Dimensions (2010)

    27/03/2020

  • Image

    ResenhaGungfly - Alone Together (2020)

    22/10/2020

  • Image

    ResenhaNautilus - 20 000 Miles Under The Sea (1978)

    07/01/2021

  • Image

    Resenha Marscape (1976)

    05/04/2021

Visitar a página completa de Tiago Meneses



Sobre o álbum

Heavy Rock Spectacular

Álbum disponível na discografia de: Bram Stoker

Ano: 1972

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4 - 1 voto

Avalie

você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Heavy Rock Spectacular



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.