Resenha

The Pros And Cons Of Hitch Hiking

Álbum de Roger Waters

1984

CD/LP

Por: Tiago Meneses

Colaborador Top Notch

29/05/2020



Não é o seu melhor esforço, mas é bom e costuma ser injustamente desprezado

Devo admitir que no começo, esse disco não era do tipo mais fácil de digerir, algo tão difícil como o que ocorre com o Final Cut. Mas diferentemente do que ocorre com Final Cut, The Pros & Cons of Hitchhiking carrega um tipo diferente de humor, algo ausente no disco do Pink Floyd e, embora não seja de uma maneira imediatamente aparente, nos shows da tour é quando de fato Waters faz com que este disco de fato ganhe vida, faça sentido, especialmente com a utilização de animações e personagens infláveis em segundo plano para sublinhar aqueles que são considerados os principais momentos do álbum. 

O conceito de The Pros & Cons of Hitchhiking foi desenvolvido por Waters em 1977 e apresentado ao Pink Floyd junto com um conceito alternativo. Por fim, o grupo escolheu a opção alternativa, que foi desenvolvida no The Wall. Waters decidiu desde cedo usar o que não foi escolhido pela banda como um projeto solo e, em 1983, ele revisitou esse conceito. A história se concentra nos sonhos de um homem em tempo real, durante os primeiros minutos da manhã, que se entrelaçam e saem de histórias interligadas. A história começa com o narrador tendo um pesadelo e, tematicamente, essa é a melhor maneira de descrever o que esse álbum é musical e liricamente: uma jornada longa, sombria e onírica. A maior parte deste álbum é tocada em menores, o que apenas contribui para o clima sombrio.

Com o tempo passei a achar esse disco um trabalho bastante criativo e cheio de pura angústia. O álbum em si é semelhante ao estilo abordado no The Wall, mas principalmente em Final Cut. Na verdade, muitas vezes a semelhança é gritante e parece que Waters está copiando ele mesmo. É impossível ouvir especialmente “4,47 Am (The Remains of Our Love)” e não lembrar de “Mother”. Mas ainda assim eu gosto das músicas feitas, com uma mistura de sussurros e gritos tão comuns nas composições de Waters. 

Antes de ouvir esse disco pela primeira vez, eu admito que estava com um preconceito bastante alto, achava que sequer iria conseguir ouvi-lo inteiro sem que eu pulasse algumas de suas faixas, mas a sua sonoridade meio prog blues e cheia de lamentações acabaram me atraindo, apesar de possuir um conceito ruim e que jamais seria lançado com o nome de Pink Floyd. 

Claro que eu não serei injusto ao ponto de não mencionar o incrível trabalho de guitarra de Eric Clapton, o hammond e violão de 12 cordas de Andy Brown, sem o qual o disco teria perdido muito e jamais seria o mesmo, além de claro, citar David Sanborn e toda a sua magia com o saxofone que acrescenta um sentimento que não deve faltar em nada que seja relacionado ao Pink Floyd. 

Não estamos diante de uma obra-prima, longe disso, mas este disco pode possuir mais valores do que muita gente imagina. A ideia é não exigir tanto dele, até porque nenhum dos membros do Floyd tem em sua carreira solo algum disco que eu chamaria de brilhante. Possui uma narrativa estilisticamente semelhante a que domina Final Cut, mas isso não é algo que eu trato como problema. Embora nenhuma faixa em si seja ruim, também nada além da faixa-título oferece ganchos melódicos que possamos chamar de memoráveis. Não é o seu melhor esforço, mas costuma é bom e costuma ser injustamente desprezado.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Tiago Meneses

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 28/09/2017

"Sou poeta, contista e apaixonado pela música progressiva em todas as suas facetas."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaDiscipline - To Shatter All Accord (2011)

    12/06/2020

  • Image

    ResenhaKate Bush - The Dreaming (1982)

    27/01/2021

  • Image

    ResenhaDevin Townsend - Ziltoid The Omniscient (2007)

    20/11/2020

  • Image

    ResenhaCream - Disraeli Gears (1967)

    07/10/2017

  • Image

    ResenhaClepsydra - Alone (2001)

    01/08/2022

  • Image

    ResenhaJames LaBrie - Elements Of Persuasion (2005)

    09/07/2020

  • Image

    ResenhaAnathema - We're Here Because We're Here (2010)

    09/07/2020

  • Image

    ResenhaGentle Giant - Playing The Fool (1977)

    06/07/2018

  • Image

    ResenhaDeep Purple - Deep Purple In Rock (1970)

    17/10/2017

  • Image

    ResenhaMurple - Io Sono Murple (1974)

    22/03/2018

Visitar a página completa de Tiago Meneses



Sobre o álbum

The Pros And Cons Of Hitch Hiking

Álbum disponível na discografia de: Roger Waters

Ano: 1984

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 3,75 - 2 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de The Pros And Cons Of Hitch Hiking



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.