Resenha

Tatanaguê

Álbum de Theo De Barros

2017

CD/LP

Por: Roberto Rillo Bíscaro

Colaborador Top Notch

21/04/2020



Veterano no topo da forma

Ao escutar o arrebatador galope épico de Tatanagüê, ouvintes mais experientes poderão cismar que ecoa o clima das canções de protesto, dominantes nos festivais de MPB nos meados sessentistas. Estarão cobertos de razão: o compositor de Tatanagüê é Theo de Barros, autor da antológica Disparada, covencedora do II Festival da Música Popular Brasileira, com A Banda, de Chico Buarque.

Já na metade da septuagenaridade, Theo tem biografia tão extensa e importante, que daria livro. Compositor, arranjador, instrumentista, produtor, empresário, Teófilo Augusto de Barros Neto fez trilha para teatro engajado, com Guarnieri e Boal; formou quarteto com o albino Hermeto e até fundou gravadora, a Eldorado.

Sem lançar muito e bem longe da grande mídia, Theo ressurgiu em maio de 2017, com o álbum independente Tatanagüê. Para as dezesseis canções, dezenas de músicos para executar os arranjos exuberantes e o paulista Renato Braz para cantar com excelência, a maioria delas.

As letras abundam em valorização dos elementos da brasilidade, como capoeira (Cavalo de Oxóssi) e mestiçagem, como em Mestiço, que idealiza, com melodia faceira, que a miscigenação tenha sido feita pelo amor, à luz de candeeiros. Em Fruta Nativa, o corpo da mulher é composto por frutas brasileiras e Três Vertentes versa sobre choupanas iluminadas por candeia. Quem hoje ainda canta sobre cambucás, em melodias tão lindas e sensíveis?

Tatanagüê traz convidados vocais: Monica Salmaso, na lenta seresta de Alguém Sozinho; Alice Passos, no irresistível samba de roda de Camaradinho. Dá vontade de aprender capoeira e fazer o corpo virar cata-vento. Mas, o holofote é de Renato Braz, que resplandece quando precisa ir às alturas conclamatórias da faixa título ou quando carece ser delicado, como em Cantiga de Beira-Mar.

Sofisticado como a melhor estirpe da MPB, musicalmente, Tatanagüê vai do pan-americanismo andino de Barco Sul à Renascença, em trecho de Três Violas. Mas, nunca é tão simples; a maioria das canções opera em mais de um sub-subgênero, vide a catirada no meio de Desafio, que abre soando meio como fado.

E como não quer fugir do espírito contestatório, quando você pensa que Tatanagüê chegou ao fim com a despedida de Desafio, o próprio Theo vem alfinetar a pouca-vergonha política atual com o sambinha violonado As Sombras. Depois do espetáculo orquestral-vocálico da quinzena de faixas irretocáveis, soa meio anticlimático, mas não compromete.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 11/09/2017

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaTimelight - Selah! (2020)

    04/05/2021

  • Image

    ResenhaJessie Laine Powell - Fill The Void (2016)

    05/01/2021

  • Image

    ResenhaTony Bizarro - Nesse Inverno (1977)

    21/05/2021

  • Image

    ResenhaRaphael Gimenes - A Tongue Full Of Suns (2021)

    12/05/2021

  • Image

    ResenhaTahirah Memory - Asha (2019)

    07/06/2020

  • Image

    ResenhaThe Bird And The Bee - Interpreting The Masters Volume 2: A Tribute To Van Halen (2019)

    16/05/2020

  • Image

    ResenhaFrancisco, el Hombre - Casa Francisco (2021)

    22/03/2022

  • Image

    ResenhaScalene - Respiro (2019)

    16/07/2020

  • Image

    ResenhaVirginia Rodrigues - Cada Voz É Uma Mulher (2018)

    04/09/2021

  • Image

    ResenhaNation Of Language - Introduction, Presence (2020)

    05/11/2020

Visitar a página completa de Roberto Rillo Bíscaro



Sobre o álbum

Tatanaguê

Álbum disponível na discografia de: Theo De Barros

Ano: 2017

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,5 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Tatanaguê



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.