Resenha

Tatoo You

Álbum de The Rolling Stones

1981

CD/LP

Por: Márcio Chagas

Colaborador Sênior

11/04/2020



O último clássico da banda!

“Tattoo You” é um disco considerado clássico, que quando você escuta te passa a impressão que o grupo estava no auge tanto em termos de criatividade quanto de execução, querendo mostrar ao mundo seu poder de fogo certo? Errado!!!

O grupo havia lançado “Emotional Rescue” no ano anterior e feito uma grande turnê que durou todo o ano de 1980, estando exausta. Mas Jagger e Cia receberam uma proposta para uma mega turnê nos EUA, onde tocariam apenas em estádios contando com milhares de pessoas como plateia.  Tal proposta era certamente irrecusável, porém, havia um problema: Na década de 80, ninguém caia na estrada sem um disco para divulgar. Naquela época, os shows tinham como principal função tornar a banda conhecida e alavancar as vendas dos discos, muito diferente do cenário atual.

E dentro deste contexto, o grupo não tinha um disco novo para divulgar, ao contrario, havia acabado de encerrar a turnê de seu trabalho anterior, lançado há mais de um ano, uma eternidade na época. Exaustos e sem muita inspiração, a banda encontrou solução buscando velhas idéias em demos antigas e reciclando canções que foram deixadas de lado em sessões de estúdio.

Deste modo o grupo se reuniu em estúdio para trabalhar as canções que seriam produzidas por Jagger e Richards. Os Stones decidiram que dividiriam homogeneamente o trabalho, gravando canções mais rocks no lado A do vinil e deixando as baladas para o lado B. com exceção de dois temas que tiveram a contribuição de Ronnie Wood, todas as canções foram compostas pela dupla Jagger e Richards, que funcionavam muito bem desde os anos 60.

“Start Me Up” abre o álbum com o astral no alto. Um riff empolgante amparado pela voz inconfundível de Jagger. O curioso, é que a canção era um reggae gravado em 1975 nas sessões do “Black and Blue”. Ela foi retrabalhada e ficou tão conhecida como “Satisfaction”, dando à banda o hit que precisava para ser lançado como single;

A faixa seguinte “Hang Fire” mantém a dinâmica do álbum. A faixa ficou fora do álbum anterior e foi regravada com a adesão de vocais femininos no melhor estilo soul music;

Gravada também em 1978, “Slave” surge mais cadenciada, com a guitarra malandra de Richards soando grooveada, amparada pelo órgão de Billy Preston e percussão de Ollie E. Brown. A canção tem um solo de sax matador, cortesia de Sonny Rollins, um dos maiores nomes do jazz; 

Então temos “Little T & A”, apresentando Keith nos vocais, em uma das composições mais sacanas do grupo. Segundo o guitarrista, a canção é uma homenagem a todas as mulheres que conheceu em suas viagens junkies pelo mundo. É hilário ver a cara do guitarrista enquanto canta os versos da musica ao vivo. Um tema tipicamente  Stones;

Em “Black Limusine” o grupo volta às raízes e se sente em casa com um blues de arrepiar! Destaque para o solo de gaita do convidado Sugar Blues;


Encerrando a primeira parte temos “Neighbours”, bem direta, a canção tem uma atmosfera quase punk, com Jagger esgoelando no inicio do tema e Watts mandando ver na marcação de bateria. 

O lado mais Cool do álbum se inicia com “Worried About You”, uma balada arrastada onde Mick canta em um falsete quase sussurrante. A canção também veio das gravações de “Black and Blue” de 1978 e conta com Billy Preston nos teclados e Wayne Perkins na guitarra;

“Tops” é uma razoável balada midi tempo, vinda das sessões de “Goats Head Soap” de 1972. Como ela foi apenas remixada, aqui você ouve Mick Taylor dividindo a guitarra com Richards;

A seguir temos “Heaven”, uma canção com ecos de progressivo, amparada por uma guitarra cheia de efeitos tocada por Jagger, com um andamento exótico e bem cadenciado. Na verdade, esta canção foi gravada como um trio, com Mick nos vocais e guitarra, Bill Wyman no baixo e sintetizador e Charlie Watts na bateria. O produtor Chris Kimsey adicionaria partes de piano posteriormente;

“No Use in Crying” tem um ritmo malemolente, com vocais de apoio carregados de soul. Embora seja uma balada, os violões foram substituídos por guitarras mais limpas em um grande trabalho da dupla Richards/Wood;

O grupo encerra o álbum com “Waiting on a Friend”, uma das melhores baladas dos Stones, fazendo parte do set list da banda até os dias de hoje. Ela tem um andamento folk bem similar a temas composto por Dylan ou Neil Young. Tal qual “Tops”, ela foi grava em 1972, e conta novamente com Mick Taylor nas guitarras. Sonny Rollins ressurge com seu sax, dando uma atmosfera jazzística ao tema. Mick Taylor acionaria judicialmente o grupo para receber os royalties relativos às duas canções presentes no disco que possuem sua participação involuntária;

“Tattoo You” foi lançado em agosto de 1981 e é para muitos, o ultimo álbum clássico do grupo. Polêmicas á parte, o single “Start Me Up” figurou no Top 10 dos EUA e Reino unido, colocando o álbum em primeiro lugar na América e em segundo na Inglaterra, sendo o ultimo trabalho da banda a conseguir tal colocação.

Mas o grande mérito do disco foi catapultar a carreira do grupo, pois após seu lançamento, os Stones fizeram as apresentações programadas nos estádios americanos com lotação esgotada entre outubro de dezembro de 1981, arrecadando mais de 50 milhões de dólares e elevando os Stones a categoria de mega banda. 



Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Márcio Chagas

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/04/2018

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ArtigoGuitarra rítmica: A base do rock!

    02/03/2019

  • Image

    ResenhaKansas - Leftoverture (1976)

    25/11/2019

  • Image

    ArtigoSteve Howe e Mark Knopfler: O bem-sucedido encontro do rock com a country music!

    03/01/2019

  • Image

    ResenhaTerje Rypdal - Waves (1978)

    24/10/2021

  • Image

    ResenhaThe Rolling Stones - Black And Blue (1976)

    01/08/2020

  • Image

    ArtigoOs 10 melhores discos lançados em 2020

    26/12/2020

  • Image

    ResenhaJeff Beck - Wired (1976)

    20/12/2018

  • Image

    ResenhaPeter Frampton - Fingerprints (2006)

    20/03/2020

  • Image

    ResenhaFelipe Continentino - Felipe Continentino (2012)

    26/07/2020

  • Image

    ResenhaQueensryche - American Soldier (2009)

    19/04/2020

Visitar a página completa de Márcio Chagas



Sobre o álbum

Tatoo You

Álbum disponível na discografia de: The Rolling Stones

Ano: 1981

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,75 - 10 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Tatoo You:

  • 25
    jun, 2021

    Os Stones ainda como referência

    User Photo Fábio Arthur
  • 29
    ago, 2020

    A colcha de retalhos que virou clássico

    User Photo Marcel Dio

Visitar a página completa de Tatoo You



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.