Resenha

Not Of This World

Álbum de Pendragon

2001

CD/LP

Por: Márcio Chagas

Colaborador Sênior

15/12/2019



A mais fantástica viagem musical do Pendragon!

Quando o assunto é Neo prog o Pendragon é sempre um dos nomes mais lembrados. Além de possuir uma carreira bastante linear, com bons álbuns o grupo ainda possui em suas fileiras o Tecladista Clive Nolan, um dos maiores nomes da nova geração de progressivo que integra muitos outros grupos e projetos como Arena, Shadowland, Caaamora etc... 

A Banda conseguiu conquistar maior projeção após o lançamento de “The Masquerade Overture”, colocado nas prateleiras em 1996 e considerado por muitos como seu melhor trabalho por crítica e público. Porém,   em 2001 o grupo lança no mercado “Not of this World”, um trabalho fantástico, que em minha opinião superou até mesmo seu maior clássico até então;

O álbum é conceitual, abordando temas como mortalidade, natureza, busca por autoconhecimento e existência pós morte.
As razões para uma evolução se mostram claras ao ouvir o álbum: o líder Nick Barret que nunca foi um excelente vocalista, trabalhou melodicamente seu vocal, conseguindo uma performance mais linear. Se levarmos em conta que na verdade ele é um guitarrista de canta, vai perceber que o músico tomou mais consciência de suas limitações vocais e melhorou muito sua performance, deixando transparecer seu lado mais passional ao cantar as letras. Sua guitarra continua afiadíssima, com fortes influências de Steve Hackett, Steve Rothery e  David Gilmour. Apesar das referências acima, é notório que o Barret desenvolveu um estilo próprio. 

O citado Tecladista Nolan foi determinante para o sucesso do CD, suas camadas de teclados aliada a  sua concepção harmônica e sua sutileza na elaboração dos arranjos ajudou a lapidar as composições de Barret, para um resultado final ainda melhor.

A cozinha formada por Peter Gee e Fudge Smith estava cada vez mais integrada, sendo uma das melhoras do estilo. Gee é um excelente músico,  embora seja um baixista versátil e técnico, seu estilo sempre foi de privilegiar as canções, utilizando o instrumento para reforçar as bases sem firulas desnecessárias; 

Smith, que sempre gostou de apresentar um lado mais técnico em alguns momentos das canções está mais comedido neste álbum, com linhas um pouco mais retas, e utilizando os tambores para criar ambiências em algumas passagens, como Ian Mosley fez em “Misplaced Childhood”. Toda a integração do grupo pode ser ouvida na faixa nº 4 que dá nome ao disco, com longos solos de teclados e guitarras e uma base impecável;

Apesar de possuir nove canções no CD, o álbum foi dividido pelo grupo da seguinte maneira: a introdução com uma suíte de nove minutos;   “Dance Of The Seven Veils”,  que englobas as faixas 2 e 3; “Not Of This World”,  compreendendo as faixas, 4, 5, e 6; a faixa 7,  “A Man Of Nomadic Traits”,  uma suíte de  11 minutos e finalmente o encerramento com “World's End” formadas pelas faixas 8 e 9.

Com essa dinâmica fica difícil analisar cada faixa do álbum que funciona melhor quando o ouvinte o aprecia em sua totalidade, mas além da citada faixa título, vale mencionar a suíte “A Man Of Nomadic Traits”, onde Barret soube trabalhar muito bem camadas de guitarras acústicas e elétricas e alterar a sonoridade da canção para criar momentos mais suaves que antecedem ao clímax. Outro destaque é “All  Over Now”, uma composição típica nos álbuns do grupo, mas que se sobressai por estar muito mais elaborada, com  belos vocais e mudanças  repentinas de andamento.

Além do conteúdo musical, a capa idealizada por Simon Williams é uma das belas do grupo, cehia de detalhes e nuances que remetem as canções do álbum. O encarte com 16 paginas valoriaza ainda mais o trabalho, trazendo as letras e outras pinturas do artista que da sua visão pessoal sobre cada faixa. A produção e mixagem ficou a cargo do guitarrista Karl Groom, parceiro de Nolan em outros projetos e conhecido por integrar o grupo de prog metal Threshold.

Com certeza o grupo possui outros grandes trabalhos, mas ainda considero “Not Of This World” o ápice criativo e técnico da banda.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Márcio Chagas

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/04/2018

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaQueensryche - American Soldier (2009)

    19/04/2020

  • Image

    ResenhaDeep Purple - Whoosh! (2020)

    08/08/2020

  • Image

    ResenhaApocalypse - The Bridge of Light (2008)

    24/07/2019

  • Image

    ResenhaSteve Hackett - Highly Strung (1983)

    12/12/2021

  • Image

    ResenhaIron Maiden - Killers (1981)

    10/04/2019

  • Image

    ArtigoVariações sobre um mesmo tema: Led Zeppelin “No Quarter”!

    02/09/2021

  • Image

    ResenhaOSI - Office Of Strategic Influence (2003)

    24/02/2020

  • Image

    ArtigoGuitarra rítmica: A base do rock!

    02/03/2019

  • Image

    ResenhaCamel - Dust And Dreams (1991)

    04/08/2018

  • Image

    ResenhaBlack Sabbath - Headless Cross (1989)

    03/11/2018

Visitar a página completa de Márcio Chagas



Sobre o álbum

Not Of This World

Álbum disponível na discografia de: Pendragon

Ano: 2001

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,5 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Not Of This World



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.