Resenha

Damnation

Álbum de Opeth

2003

CD/LP

Por: Márcio Chagas

Colaborador Sênior

15/11/2019



O trabalho mais melancólico e depressivo do Opeth

No inicio dos anos 2000 o Opeth era um dos maiores representantes do metal extremo na Europa, não só por suas canções agressivas, mas pelo alto nível técnico apresentado pelo grupo. Além de guitarras pesadas e vocais característicos do estilo, a banda trazia ainda uma nítida influência de bandas progressivas e psicodélicas.

No final de 2001 o grupo, que na época contava com Mikael Åkerfeldt – vocal, guitarra; Peter Lindgren – guitarra; Martin Mendez – baixo; Martin Lopez – bateria, percussão, entraram no Fredman studios na Suécia e se preparavam para gravar o que viria a ser o seu sexto álbum, denominado ‘Deliverance”, que a principio seria duplo. No entanto a banda tomaria a decisão acertada de lança-lo como simples, optando por lançar um segundo disco no ano seguinte batizado como “Damnation”.

O álbum chegou as lojas em 2003 e foi como uma pedrada nos ouvidos dos fãs, não pela costumeira agressividade, pelo contrário, ‘Damnation” não contava com vocais guturais, guitarras distorcidas e os famosos blast beasts de bateria. O grupo colocava no mercado um álbum melancólico, com guitarras dedilhadas, camas de teclados e vocais limpos com uma sonoridade majoritariamente progressiva, muito similar a grupos como o Porcupine Tree, Anekdoten e até Pink Floyd.

O fato de Steve Wilson estar produzindo o grupo há alguns anos influenciou o líder Akerfeld a investir em tal sonoridade, que ficou ainda mais similar a banda do produtor pelo fato de Wilson pilotar os teclados, pianos, mellotron, além de fazer vocais de apoio e ajudar na composição de “Death Whispered Lullaby”, única faixa que não foi totalmente composta pelo líder e vocalista;

O grupo se mostrou completamente integrado a sonoridade apresentada, os vocais de Michael se apresentam melódicos, se adaptando a sonoridade lírica definida. As camas de teclados se encaixam perfeitamente nos arranjos criados e a cozinha se mostra eficiente, pois a dupla Mendez / Lopez conseguiram se sobressair de maneira mais simples, interagindo perfeitamente com as canções, como acontece na soturna “Closure”, com o baterista inserindo tambores e pratos em sincronia perfeita com a guitarra dedilhada.

As letras falam de temas lúgubres como solidão, melancolia, isolamentos e outros sentimentos obscuros que afetam a alma e a psique humana. 

Dentre as faixas é interessante destacar “Windowpane” que abre o álbum com seus quase oito minutos, completamente calcada em dedilhados de guitarra e violão amparada por camas de teclados. Os solos aparecem limpos e cristalinos, lembrando bastante o citado Porcupine Tree e outras bandas progressivas dos anos 90 como  Anglagard; ‘In My Time Of Need” que é cantada de maneira diferente, como se Arkefield quisesse enfatizar cada silaba, optando por utilizar uma Voz mais direta no refrão. O uso do Mellontron e de guitarras floydianas deixou a melancolia ainda mais predominante, tornando essa canção uma das minhas favoritas do álbum;

Não existe tÍtulo mais obscuro e sombrio que "Death Whispered a Lullaby" (a morte sussurrou uma canção de ninar). E a letra  perturbadora se encaixa bem com o tema, a única parceria do álbum entre o líder  Akerfield e o produtor Wilson. Alias o solo da canção é totalmente inspirado no Porcupine Tree; 

Ainda vale a menção de “Ending Credits”, a única faixa completamente instrumental. No DVD ao vivo “Lamentations: Live At Shepherd´s Bush”, onde o grupo apresenta o álbum na integra, Michael confessa a plateia que esta canção foi inspirada numa banda chamada Camel. Realmente o timbre e a condução da faixa lembram muito Andy Latimer e Cia. E ‘”Weakness”, que encerra o álbum. O grupo volta a usar mellotron e insere elementos de música psicodélica na canção.

Embora o álbum tenha assustado fãs mais radicais, é notório que “Damnation” foi uma evolução na musicalidade do grupo, e essencial para a mudança completa no direcionamento musical do Opeth na década seguinte. O disco foi o primeiro do grupo a ficar entre o top 200 da Billboard, alcançando a 14ª posição no Top  Independent Albuns da mesma instituição.

É um trabalho melancólico, belo, de sonoridade triste e progressiva, ideal para se ouvir num dia de chuva.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Márcio Chagas

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/04/2018

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaJeff Beck - Blow by Blow (1975)

    23/12/2018

  • Image

    ArtigoCozy Powell: 20 anos sem a locomotiva do rock

    02/01/2020

  • Image

    ResenhaSpectrum Road - Spectrum Road (2012)

    29/11/2021

  • Image

    ResenhaGenesis - Foxtrot (1972)

    18/04/2020

  • Image

    ResenhaBlezqi Zatsaz - Rise And Fall Of Passional Sanity (1991)

    30/12/2019

  • Image

    ResenhaMarco Minnemann - Orchids (2002)

    04/04/2020

  • Image

    Artigo13 DVD´s essenciais de rock progressivo

    05/04/2021

  • Image

    ArtigoR. I. P. Neil Peart (12/09/1952 – 07/01/2020) - A lenda do Rush se vai e deixa uma obra consistente e inigualável

    10/01/2020

  • Image

    ResenhaJoe Satriani - Joe Satriani (1995)

    06/05/2018

  • Image

    ResenhaPaul Kossoff - Back Street Crawler (1973)

    30/08/2020

Visitar a página completa de Márcio Chagas



Sobre o álbum

Damnation

Álbum disponível na discografia de: Opeth

Ano: 2003

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4 - 5 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Damnation



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.