Resenha

Dirt

Álbum de Alice In Chains

1992

CD/LP

Por: Vitor Sobreira

Colaborador

26/09/2019



Carregado e reflexivo

Considerado por milhares como uma praga, e por outros como uma revolução, um dos filhos do Rock, o Grunge, dividiu opiniões em seu auge, no início dos anos 90. Influenciando inclusive no vestuário, a sonoridade mais pessoal e por vezes despojada, marcou pra sempre o mercado musical e cultural.

Vinda de Seattle, no estado de Washington/EUA, a banda Alice in Chains cada vez conquistava mais território, e no dia 29 de setembro de 1992 o mundo veria o lançamento de seu segundo álbum, ‘Dirt’ – comumente referido como clássico e citado entre os melhores dp Rock em todos os tempos – pela Columbia Records (uma das mais antigas e significativas gravadoras dos Estados Unidos, abrigando artistas e bandas do Pop ao Metal).

Se por um lado, o Nirvana trazia uma aura um pouco mais Alternativa, transitando entre peso e melancolia em suas composições, por outro lado, o Alice in Chains – até então integrado por Layne Staley (vocal e guitarras), Jerry Cantrell     (guitarra e vocal), Mike Starr (baixo) e Sean Kinney (bateria) não abria mão de influências diretas do Heavy Rock/Metal, mas sem deixar de ter o seu teor de alternativo, aos ouvidos dos apreciadores da época.

Músicas pesadas, com andamentos predominantemente cadenciados, refrões fortes e uma densa carga emocional, serão basicamente o que o ouvinte se deparará nesse trabalho. A audição é extensa e quase chega em 60 minutos mas, a cada conferida os bons momentos poderão ser muito bem apreciados nas brechas musicais. Como observação, dependendo da versão do álbum, a listagem das faixas pode variar.

Se os vocais de Layne soaram límpidos, profundos e dando “aquela” tônica aos refrões,  é por que ele foi além da mera interpretação, em letras de cunho bastante pessoal – já que na época enfrentava sérios problemas com as drogas. O instrumental não poderia deixar de seguir esse fio condutor, constantemente pesado, melancólico e ao mesmo tempo forte e encorpado – de riffs sujos à seção rítmica hipnótica, passando por melodias nem reflexivas. Obviamente, os satisfatórios processos de estúdio, também contribuíram para esse resultado final que muitos apreciam. Como detalhe curioso, é de se espantar, que em determinados momentos de algumas composições, fiquemos com a impressão de que aquilo chega a esbarrar no Doom… Mas, é apenas uma lembrança mesmo. Ainda que não seja uma observação tão sem fundamento assim...

Como destaques principais, fico com a famosa abertura “Them Bones”, “Junkhead”, a título “Dirt” (excelentes melodias e andamentos) e o encerramento “Would?”, que conta com um início mais tranqüilo com aqueles marcantes dedilhados, para aderir ao peso logo em seguida. Mas, é claro que as menções não ficam apenas nessas, e vai de acordo com o ouvido de cada apreciador, além de quanto mais se escuta, mais se identificará com outras canções.

No mais, é sempre bom ouvir com calma, um som que nunca havia nos interessado antes!


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Vitor Sobreira

Nível: Colaborador

Membro desde: 13/10/2017

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaNightwish - Dark Passion Play (2007)

    16/10/2017

  • Image

    ResenhaMarko Hietala - Pyre Of The Black Heart (2020)

    14/04/2020

  • Image

    ResenhaTherapy? - Nurse (1992)

    06/07/2020

  • Image

    ResenhaAvantasia - Ghostlights (2016)

    25/05/2019

  • Image

    ResenhaBlack Sabbath - Seventh Star (1986)

    16/10/2017

  • Image

    ResenhaScorpions - Lovedrive (1979)

    15/10/2018

  • Image

    ResenhaDimmu Borgir - In Sorte Diaboli (2007)

    01/11/2017

  • Image

    ResenhaDimmu Borgir - Spiritual Black Dimensions (1999)

    01/11/2017

  • Image

    ResenhaThe Birthday Massacre - Pins and Needles (2010)

    25/01/2019

  • Image

    ResenhaAgnes Obel - Philharmonics (2010)

    17/01/2019

Visitar a página completa de Vitor Sobreira



Sobre o álbum

Dirt

Álbum disponível na discografia de: Alice In Chains

Ano: 1992

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,43 - 7 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Dirt:

  • 07
    nov, 2019

    Além de somente um disco, é uma experiência!

    User Photo Marcio Alexandre
  • 16
    set, 2019

    Musical sob diversas óticas

    User Photo Fábio Arthur

Visitar a página completa de Dirt



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.