Resenha

Fused

Álbum de Tony Iommi

2005

CD/LP

Por: Márcio Chagas

Colaborador Sênior

15/09/2019



Um clássico absoluto do rock pesado!

A saga entre Tony Iommi e Glenn Hughes começa no distante ano de 1985. O guitarrista estava em baixa na sua carreira e decidiu  criar seu primeiro disco solo convidado Hughes para ser apenas seu vocalista. O álbum, que acabou se tornando o “Seventh Star” do Black Sabbath por divergências contratuais começou com problemas ainda em estúdio, principalmente pelo estado deplorável do cantor, viciado em cocaína e heroína. Seu vicio era tão grande que Hughes fez poucos shows com o grupo sendo em seguida substituído;

Claro que a relação de ambos não terminou da melhor maneira, ficando extremamente abalada. Então em 1996, com o vocalista e baixista já completamente livre do vício, o guitarrista o convidou para realizarem uma jam session a fim de conversarem e por fim a qualquer animosidade.

A jam foi devidamente registrada e virou o bootleg “Eight Star”, disputado ferrenhamente entre os fãs mais entusiasmados pelo trabalho da dupla. Tony percebeu o apelo dos fãs em relação ao disco e em 2004 lançou o álbum de forma oficial com o nome de “The 1996 Dep Sessions”, que surpreendentemente alcançou boas vendas.

No mesmo ano, o guitarrista começou a trabalhar em seu segundo álbum solo e inicialmente convidou jorn Lande para gravar os vocais. Porém, a agenda livre de Hughes e as boas vendas de “Dep Sessions” o fizeram recuar e convidar Hughes para novamente compor e gravar ao seu lado. Com a aceitação imediata do vocalista faltava agora conseguir bons parceiros para completar o time que gravaria o disco.
Como Hughes desta vez também gravaria os baixos, a dupla escolheu Kenny Aronoff  para cuidar das baquetas. Kenny é um músico extremamente versátil, tendo gravados com nomes que vão do jazz ao rock pesado passando pelo pop, como Ray Charles, B.B. King, Avril Lavigne e Alice Cooper apenas para citar alguns.  O estilo versátil e competente de Aronoff cairia como uma luva para a dupla, sem contar sua ampla experiência como musico de estúdio.

Para a produção Iommi convocou Bob Marlette com quem havia trabalhado em “Reunion” do Black Sabbath. O produtor ainda ficou ainda a cargo dos teclados e de algumas linhas de baixo do disco ao lado de Hughes.

O quarteto se escolheu o estúdio Monnow Valley, em Monmouth, no País de Gales, para gravar o futuro trabalho, onde a dupla pôde compor e trabalhar com tranquilidade suas ideias.

“Seventh Star” é um bom álbum, mas foi gravado em um período turbulento da vida da dupla, já “The Dep Sessions” é um trabalho despretensioso, gravado em clima de improviso e sem nenhuma intenção de ser lançando como um álbum, conforme dito por Iommi mais tarde. Então, coube a “Fused” a função de ser o trabalho clássico e definitivo de Iommi / Hughes, e de certo modo conseguiu.

Tony está tocando como nunca, sua profusão de riffs deu ao álbum uma atmosfera densa e pesada. O guitarrista não aparecia de maneira entusiasmada com seu instrumento desde 1992 com o lançamento do clássico “Dehumanizer”.  Glenn do alto de seus 53 anos na época, estava cantando  como nunca, de maneira mais rasgada e agressiva e suas letras se encaixavam perfeitamente com os arranjos criados por Tony.

Kenny pode fazer o que quiser com sua bateria, e trabalhando com dois baluartes do heavy metal, decidiu imprimir um estilo mais simples, direto e pesado de seu instrumento, pois tinha ciência que não era seu o papel principal. Como um bom coadjuvante o baterista tentou fazer uma base forte para  que a dupla brilhasse a frente das canções e teve um bom amparo de Marlette, responsável pelos tímidos teclados e alguns baixos ocasionais.

O petardo abre de maneira atrabiliária com "Dopamine" com seu riff de guitarra amparado pela bateria. Aqui, a união de peso e melodia atinge níveis impressionantes.  O peso continua com "Wasted Again", desta vez com maior destaque para os vocais de Hughes que atinge notas altíssimas. O solo final é um dos mais passionais já gravados por Iommi e encarra a canção de maneira soberba; "Saviour of the Real" é mais cadenciada, com Tony tocando o riff principal em cima da base pesada. A partir do solo o tema se amplia, tornando-se mais veloz e dinâmico até o ápice final;

"Resolution Song" é um dos destaques do álbum. Começa de maneira arrastada, para sem seguida se tornar mais rápida no refrão. Segue alternando momentos calmos com passagens pesadas como o guitarrista costumava fazer em sua banda na fase com Dio. Hughes consegue capturar a essência da canção e crescer junto com o tema, em uma entrega única;  a faixa seguinte denominada "Grace", é praticamente uma continuação da faixa anterior, pois segue o mesmo esquema harmônico estrutural, com suas alternâncias de andamento, riffs arrastados e base pesada; Em "Deep Inside a Shell" a dupla resolveu privilegiar a melodia, compondo uma balada midi-tempo comum, com bom solo de guitarra e os vocais em destaque; 

"What You're Living For" tem seu riff “rasgado” e uma estrutura que lembra o heavy oitentista ou algum tema do Sabbath com Ozzy. É a mais rápida do álbum; "Face Your Fear" é outro tema forte, com base pesada amparando os vocais sempre eficientes do mestre Hughes sempre com um riff maravilhoso de guitarra, afinal é Iommi tocando não é? A climática "The Spell" é a faixa mais parecida com Black Sabbath, extremamente arrastada com vocais e guitarra alternando no papel principal;

E a dupla deixa o melhor pro final, encerrando com "I Go Insane", uma suíte de nove minutos com influência de rock progressivo, prog metal e doom. Uma canção que começa complacente, com Hughes acompanhado por violões e vai se desenvolvendo no decorrer da audição, ficando mais pesada e emblemática. Um dos melhores temas criados tanto por Hughes quanto por Iommi,  que ainda nos brinda com um solo fantástico, mostrando que conhece muito quando o assunto é solos viajantes.

O disco foi lançado em julho de 2005, e não houve nenhuma grande turnê para promovê-lo, apenas alguns poucos shows promocionais, uma vez que Iommi estava em turnê com Black Sabbath e Hughes precisava continuar divulgando seu CD, o excelente  “Soul Mover” lançando no mesmo ano e ainda voltaria aos estúdios para a gravação do que viria a ser seu álbum “Music for Divine”. Realmente uma pena não terem seguido promovendo o disco, pois seria interessante ver o trio em ação ao vivo.

“Fused”, pode ser considerado um clássico do rock pesada e um dos pontos altas da discografia da dupla que mostrou ter fôlego para lançar pelo menos mais um trabalho. Com o final do Black Sabbath, Tony está com seu tempo livre e seria interessante se voltasse a trabalhar novamente com Hughes. Como nada é impossível, ficamos na torcida.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Márcio Chagas

Nível: Colaborador Sênior

Membro desde: 14/04/2018

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaFrank Zappa - The Man From Utopia (1983)

    10/04/2020

  • Image

    ResenhaRobert Plant - Now And Zen (1988)

    09/10/2021

  • Image

    ResenhaMichael Jackson - Thriller (1982)

    05/05/2018

  • Image

    DivulgaçãoO guitarrista Guilhos lança o clipe de sua primeira canção no YouTube e plataformas digitais

    03/08/2020

  • Image

    ResenhaPat Metheny - American Garage (1979)

    10/05/2019

  • Image

    ResenhaOzzy Osbourne - Just Say Ozzy (1990)

    04/04/2020

  • Image

    ResenhaEd Motta - Dwitza (2002)

    19/09/2018

  • Image

    ResenhaJethro Tull - Minstrel In The Gallery (1975)

    03/04/2020

  • Image

    ResenhaDixie Dregs - Unsung Heroes (1981)

    10/10/2020

  • Image

    ResenhaMark Isham - Blue Sun (1995)

    13/04/2019

Visitar a página completa de Márcio Chagas



Sobre o álbum

Fused

Álbum disponível na discografia de: Tony Iommi

Ano: 2005

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,75 - 2 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Fused



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.