Resenha

Love Over Gold

Álbum de Dire Straits

1982

CD/LP

Por: Fábio Arthur

Colaborador Especialista

15/08/2019



Musicalidade

O prazer de ouvir música de verdade não tem preço, e o Dire Straits proporciona isso, com qualidade excessiva em "Love Over Gold" que, certamente demanda uma audição com uma atenção minuciosa. 

Não devemos, antes de tudo, deixar de prestar atenção aos músicos envolvidos, pois, se não fosse por eles, não haveria a junção maravilhosa entre talento e precisão para compor. 

Mark Knopfler é genial, sua originalidade traz um enriquecimento supremo ao som do Straits e de sua seis cordas. Sua técnica vista por muitos como simplista, escapa totalmente da veia comum e casa perfeitamente com sua visão musical, poderosa e primorosa. Também, devemos prestar atenção no grupo como um todo, por exemplo, na bateria concisa de Pick Whiters, com seus compassos bem casados e de estruturas distintas e por vezes simplistas, mas que elevam as canções de forma sublime. Alan Clark nos teclados e Hal Lindes na guitarra de apoio não deixam por menos e John IIsley consegue cativar com seu baixo preciso e seu backing vocal bem encaixado e absoluto. Além do mais, temos Ed Walsh nos sintetizadores e Mike Mainieri nas área percussiva; um time de primeira.

Em "Love Over Gold" a banda chega com seu quarto trabalho e o mesmo foi lançado em setembro de 1982, sendo considerado por inúmeros fãs como um dos melhores discos do grupo britânico. Aqui, o Dire Straits transita entre um rock típico inglês com uma amostra entre o folk e uma linha blues também, mas sem soar excessiva em suas vertentes; apenas combinando perfeitamente. 

No disco sucessor de 1985, a banda obteve muito sucesso comercial, foram hits e videos para MTV em demasia e muitos conheceram a banda naquele momento, mas aqui em "Love Over Gold", podemos notar uma musicalidade mais bem cuidada e que em termos realistas e verdadeiros, ele não deve nada ao seu sucessor, pelo contrário, soa muito mais a cara da banda do que nunca. 

Com apenas cinco faixas, o álbum merece todo o respeito de quem admira não somente o grupo como um todo, mas por realizarem obras intactas de formas supremas, e por tantas vezes em algumas canções a voz de Mike sussurra ou simplesmente declama de forma belíssimas as linhas vocais, interpretando mesmo com um teor sóbrio e muito coerente com o som desenvolvido. 

O disco abre com "Telegraph Road" com seus 14 minutos e em que soam sutis e por vezes mais agitados, combinando perfeitamente com a atmosfera do álbum. Logo de cara  uma faixa clássica e brilhante. O violão ganha mais força em "Private Investigations" em um ambiente suave, com melodias profundas e que encantam de em cada momento. "Industrial Disease" soa menos complexa, mas ainda é uma obra perfeita e não deixa cair a voracidade do disco. A canção título "Love Over Gold" tem seu equilíbrio romanceado e mantém a intensidade anterior com muita integração do grupo; clássica também. E o fechamento vem com "It Never Rains", que transita entre o singelo e lembra até mesmo por vezes a primeira canção do álbum. 

Não tem como deixar de apreciar essa obra-prima, feita sob medida e que se mantém como um dos maiores feitos do Dire Straits, trazendo poesia, música de verdade e mostrando a capacidade de um grupo que, quando gravaram esse clássico, iriam ainda trilhar em demasia os caminhos da fama e reconhecimento mundial; mas sem a essência avassaladora deste.

"Love Over Gold" trouxe o ladro progressivo, metódico e sem alienações do Pop Music, fazendo assim, um apanhado único e precioso dentro da discografia do grupo.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Fábio Arthur

Nível: Colaborador Especialista

Membro desde: 04/02/2018

"Obtive meu primeiro contato com o Rock, com o grupo KISS no final de 1983, após essa fase, comecei a me interessar por outros grupos, como Iron Maiden, do qual ganhei meu primeiro vinil o "Killers" e enfim, adquiri o gosto por outras bandas, como Pink Floyd, John Coltrane, AC/DC entre outras."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaOzzy Osbourne - Just Say Ozzy (1990)

    06/06/2021

  • Image

    ArtigoBlack Sabbath: Impecável na fase Ozzy

    16/11/2020

  • Image

    ResenhaKrisiun - Works Of Carnage (2003)

    29/04/2020

  • Image

    ArtigoCinco grandes nomes da música brasileira

    30/05/2021

  • Image

    ResenhaDeep Purple - The Book Of Taliesyn (1968)

    04/03/2021

  • Image

    ResenhaVenom - Calm Before The Storm (1987)

    22/01/2021

  • Image

    ResenhaScorpions - Face The Heat (1993)

    15/07/2021

  • Image

    ResenhaDio - Dream Evil (1987)

    31/03/2020

  • Image

    ResenhaConfesso, a autobiografia

    27/08/2021

  • Image

    ResenhaGenesis - Wind & Wuthering (1976)

    08/01/2021

Visitar a página completa de Fábio Arthur



Sobre o álbum

Love Over Gold

Álbum disponível na discografia de: Dire Straits

Ano: 1982

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,67 - 3 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Love Over Gold:

  • 19
    ago, 2021

    Pode ser considerado clássico? Mas é claro Galvão!

    User Photo Marcel Dio

Visitar a página completa de Love Over Gold



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.