Resenha

Remembrance

Álbum de Silent Cry

1999

CD/LP

Por: Tarcisio Lucas

Colaborador

30/07/2019



Um orgulho do Doom/Gothic metal nacional!

O Silent Cry foi durante muito tempo o maior representante do metal gótico nacional. Aliás, muito provavelmente seja até hoje em dia. Fazendo um gótico que transbordava doom metal e um ou outro elemento de black, a banda se destacou durante os fins dos anos 90 e começo dos anos 2000 no cenário trevoso, e esse primeiro lançamento oficial da banda ainda é guardado com carinho por muitas pessoas.
O ano era 1999, e o gothic metal explodia nos quatro cantos do mundo.
O grande diferencial do Silent Cry em relação aos medalhões do estilo, como Tristania, Theatre of Tragedy e Trail of Tears era uma verve atmosférica que essas outras bandas não possuíam, ou que pouco exploravam.
Os teclados são onipresentes, e as guitarras cheias de reverbs, delays e linhas melódicas lentas e marcantes ( que chegam a lembrar, pelo timbre empregado, algumas passagens do grande My Dying Bride).
O grande destaque do álbum é, sem sombra de dúvida os vocais de Suelly Ribeiro, que passeiam entre a suavidade e a melancolia, contrastando com os vocais masculinos guturais fortes em muitas outras passagens.
Em músicas como "Celestial Tears" tais vocais suaves atingem momentos de grande beleza e introspecção.
O trabalho de guitarras pode ser colocado como o próximo fator de interesse, nunca se contentando com o básico, alternando solos, bases, dedilhados e diferentes timbres o tempo todo.
Liricamente, a banda investe em todo o imaginário do gothic metal,  abordando as amarguras da passagem do tempo, da morte, da solidão, das lágrimas, das eras passadas e tudo mais que uma alma gótica poderia desejar! São poéticas e bem construídas. Nada que tenha a profundidade de um Lord Byron ou um Augusto dos Anjos, mas cumprem plenamente a função, e casam-se perfeitamente com as canções apresentadas.
Levando-se em conta que se trata do debut de uma banda até então desconhecida em terra brasilis, é possível afirmar que a produção é digna. Logicamente, não espere o tratamento técnico que o Lacuna Coil, The Gathering ou Dreams of Sanity (alguém lembra dessa aqui?) recebiam no mesmo período. Mas o que temos aqui não compromete, e digo até mais: o som que ás vezes perdia em peso e parecia soar um pouco "ao fundo" contribui para a criação do clima que a banda tenta passar.
O lançamento mais recente da banda data de 2016, o bom "Hypnosis", e oficialmente a banda nunca encerrou suas atividades. Ao longo desses mais de 20 anos de atividades, a banda passou por diversas mudanças de formação, algumas perdas pessoais duras, mas sempre seguiu em frente, e construiu uma discografia bastante sólida que vale muito a pena ser (re)visitada.
Em minha opinião, do ponto de de vista do clima e da proposta, esse Remembrance é a essência pura do espirito do grupo.
Interessante que em uma época em que pipocavam cópias mal feitas de Tristânia, Theatre of Tragedy e afins, o SIlent Cry soube construir um som ao mesmo tempo próximo de tudo que estava sendo feito e ao mesmo tempo super pessoal, intimista e próprio.
Destaque deve ser dado, com certeza, ao trabalho gráfico da capa, uma imagem de rara beleza e melancolia, que captou 110% as sensações que se experimentam ao escutar o disco.
Lembro que esse lançamento ganhou certo destaque na cena nacional após a música "Innocence" ter saído em uma coletânea da saudosa revista "Planet Metal", e durante alguns anos a banda esteve bastante em evidência. Com a ascensão das mídias sociais e consequente enfraquecimento das mídias impressas, acredito que a banda tenha perdido um pouco dessa frequência, mas sempre continuou seu trabalho e suas composições.
De resto, segue o mesmo conselho que já dei tantas vezes em minhas resenhas: pegue seu sobretudo, espere um dia de chuva e vento frio, e saia por aí, pensando na vida e seus mistérios, ao som desse grande álbum. 
Algumas coisas envelhecem bem, e esse disco com certeza é uma delas.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Tarcisio Lucas

Nível: Colaborador

Membro desde: 16/10/2017

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaGilberto Gil - Gilberto Gil (Frevo Rasgado) (1968)

    22/03/2018

  • Image

    ResenhaO Teatro Mágico - Allehop (2016)

    02/03/2018

  • Image

    ResenhaYes - Yes (1969)

    16/10/2017

  • Image

    ResenhaTheatre of Tragedy - Aegis (1998)

    26/01/2018

  • Image

    ResenhaGreta Van Fleet - Anthem of the Peaceful Army (2018)

    30/10/2018

  • Image

    ResenhaGene Loves Jezebel - Heavenly Bodies (1993)

    08/10/2018

  • Image

    ResenhaKreator - Renewal (1992)

    15/09/2018

  • Image

    ResenhaChristopher Lee - Charlemagne: By The Sword And The Cross (2010)

    05/01/2018

  • Image

    ResenhaArandu Arakuaa - Wdê Nnãkrda (2015)

    16/06/2018

  • Image

    ResenhaAyreon - The Source (2017)

    21/06/2018

Visitar a página completa de Tarcisio Lucas



Sobre o álbum

Remembrance

Álbum disponível na discografia de: Silent Cry

Ano: 1999

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,25 - 2 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Remembrance



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.