Resenha

Lovedrive

Álbum de Scorpions

1979

CD/LP

Por: Fábio Arthur

Colaborador Especialista

18/06/2019



1979: A escalada do sucesso

Uma banda que começou desde o meados dos anos 60 e rumou pelo anos 70 com afinco, paixão e força de vontade; esses são os Scorpions. Banda alemã, que demorou a vingar o sucesso, pois, batalharam e com muitas dificuldades, sendo uma delas a formação e outra o problema do idioma - no caso o inglês -, e também também a falta de um estilo mais direcionado. 

De um outro lado, caminharam pela década setentista, deixando um rastro de Hard e Metal, e que em cada disco se tornavam mais pesados. A banda tinha uma veia muito boa em termos de sonoridade a partir do segundo disco. Fizeram baladas com maestria e tinham um vocal altamente competente, com drives e agudos poderosos - o fantástico Klaus Meine. 

Em um determinado momento, o grupo precisava chegar em algum lugar, pois estavam lá, lutando dia a dia, a cada álbum lançado, mas não era suficiente. Então, mediante ao sucesso que vinha desde 1976 no Japão, através do disco "Virgin Killer", a banda conseguiu fazer mais um disco de estúdio e assim seguir em tour pelo país oriental, deixando um registro de apelo mundial: "Tokio Tapes", de 78, duplo e ao vivo, último da fase Uli Jon Roth. Quando se deu o lançamento desse petardo ao vivo, os americanos e europeus, que tinham apreço pela banda, ficaram muito chateados, do motivo de um disco tão forte como aquele, foi prensado primeiro em terras japonesas. Isso gerou um desconforto, mas esse mesmo sentimento trouxe o começo do sucesso dos Scorpions nos EUA. 

Dieter Dierks produziu a banda e a Mercury lançou "Lovedrive" em 1979, esse que vinha pesado, melódico e ainda assim com vários hits no set. O disco não somente abriu as portas para turnês em demasia como também trouxe uma fonte de fãs e boas críticas. 

Em "Lovedrive", a banda andaria pelos caminhos que os fariam ainda maior nos anos 80, o som Hard misturado ao Heavy Metal, que seriam a fonte e a espinha firme que levantaria o grupo. 

Nas gravações, o disco traz um ex-membro dos Scorpions e UFO, além de irmão de 
Rudolf. Michael Schenker colaborou em três das faixas do álbum. 

Em um pouco mais de 35 minutos, a banda caminha pelo metal pesado com "Can´t Get Enought", com drives absurdos de Klaus em "Another Piece of Meat"; um reggae em "Is There Anybody There?", uma instrumental: "Coast to Coast"; duas baladas: "Always Somewhere" e a mega clássica "Holiday" que, segundo Schenker, diria: "Ela tinha cara de Holiday, por isso o título". Com tudo isso, não sendo o bastante, a banda traz uma abertura digna com "Loving you Sunday Morning" e a poderosa faixa-título "Lovedrive", que assim completa o disco maravilhoso e muito além dos resultados apresentados até 1977 pela banda. 

A aceitação foi boa, mas daí em adiante, as tours seriam pesadas e sem pausas, fazendo com que Klaus enfrentasse problemas com sua voz, mesmo chegando ao posto de grande banda. 

Como diria Mathias em uma entrevista tempos depois: "Nunca ficamos despedaçados pelo sucesso, pois ele veio aos poucos disco a disco". Esse certamente é um dos pontos altos da carreira do grupo. 

A arte fenomenal veio a ser proibida e substituída. Ainda assim, ainda hoje, mesmo em vários países, ela não pode ser vinculada da forma original de época. No mais, a banda nos remete aqui em um som gostoso, produtivo e muito enérgico, além de um repertório que poderia figurar como um todo em cada concerto da banda.


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Fábio Arthur

Nível: Colaborador Especialista

Membro desde: 04/02/2018

"Obtive meu primeiro contato com o Rock, com o grupo KISS no final de 1983, após essa fase, comecei a me interessar por outros grupos, como Iron Maiden, do qual ganhei meu primeiro vinil o "Killers" e enfim, adquiri o gosto por outras bandas, como Pink Floyd, John Coltrane, AC/DC entre outras."

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaThe Who - Quadrophenia (1973)

    13/08/2020

  • Image

    ResenhaDio - Sacred Heart (1985)

    07/04/2020

  • Image

    ResenhaWhitesnake - Ready An' Willing (1980)

    09/11/2020

  • Image

    ResenhaDeath - Human (1991)

    10/06/2020

  • Image

    ArtigoVídeo: Rock in Rio de 1985

    18/09/2020

  • Image

    ResenhaEagles - Desperado (1973)

    16/12/2019

  • Image

    ResenhaPink Floyd - Meddle (1971)

    01/09/2020

  • Image

    ResenhaCaptain Beyond - Captain Beyond (1972)

    26/12/2019

  • Image

    ResenhaBlack Sabbath - Live...Gathered In Their Masses (2013)

    13/08/2020

  • Image

    ResenhaIron Maiden - The X Factor (1995)

    31/07/2019

Visitar a página completa de Fábio Arthur



Sobre o álbum

Lovedrive

Álbum disponível na discografia de: Scorpions

Ano: 1979

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 3,95 - 11 votos

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Veja mais opiniões sobre Lovedrive:

  • 15
    out, 2018

    Hard'n'Heavy cada vez mais afiado!

    User Photo Vitor Sobreira

Visitar a página completa de Lovedrive



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.