Resenha

Tabula Rasa

Álbum de Tabula Rasa

1975

CD/LP

Por: Rafael Lemos

Colaborador

05/05/2019



Melodias calmas e sofisticação

Lançado em 1975 pela Love Records, é um bom trabalho da cena finlandesa progressiva da época. A edição em CD, que saiu em 1995, é bastante simples, contendo somente uma foto da banda, um desenho e o nome das músicas com informações técnicas (estúdio de gravação, nome do fotógrafo etc). Não há letras das músicas e nenhuma informação sobre a banda. A beleza das canções falam por si só.
O Tabula Rasa, em seu primeiro disco, era formado por Jukka Leppilampi (vocal), Heikki Silvennoinem (guitarra e fundador da banda), Tapio Suominem (baixo), Asko Pakkanen (bateria) e Jarno Sormunem (flauta), não possuindo órgão. As partes de piano (que são lindas) foram executadas por um músico contratado chamado Jimpa “Jim” Pembroke, que futuramente viraria um integrante fixo.
O grupo se formou em 1972, na cidade de Kangasala, na Finlândia, conhecida por suas características místicas e espirituais, características essas que terão influências diretas no Tabula Rasa. Os integrantes da banda praticavam um Progressivo diferente de seus contemporâneos, como Elonkrjuu, Tasavalan Presidentti e Wigwam, apostando em uma sonoridade totalmente calma e relaxante. Podemos sentir algumas influências do Camel nas músicas do primeiro disco, provavelmente pelo uso constante de flautas. O estilo dos solos de guitarra também se assemelham.
A banda fez um relativo sucesso local ao começarem a abrir os shows do Wigwam, conseguindo um contrato que os rendeu a gravação do seu primeiro álbum, que ocorreu em Estocolmo, na Suécia.
Ele abre com a animada “Läthö”, que funciona bem como música de abertura. A voz agradável de Jukka nos dá uma interpretação quase que circense ao estilo em que cantou nessa canção.
“Miks’ ette vastaa vanhat puut” e principalmente “Tuho” são as músicas que dão o ritmo predominante do álbum, calmo e soturno. São músicas magistrais, de uma delicadeza e requinte elevado. “Tuho” virou um dos grandes hits da banda.
“Gryf” já é um pouco mais agitada, onde a flauta faz umas frases interessantes, enquanto “Tyhjä on taulu” possui somente piano e voz, em uma harmonia fenomenal.
Outros destaques vem em seguida: a instrumental “Nyt maalaan elämää” e a fabulosa “Vuorellaistuja” parecem se completar. Ambas têm ótimos solos de guitarra, sendo músicas um pouco mais rápidas do que as demais. Alguns duetos de guitarra e flauta são de um brilho enorme.
“Prinssi” fecha o álbum de maneira contemplativa, em uma linda canção onde a melodia de voz combina com as linhas perfeitas de piano e guitarra, tornando este um álbum obrigatório para qualquer fã de Rock Progressivo.
Este primeiro disco lhes rendeu alguns prêmios locais, como o de “Melhor banda pop” de 1972 (não faziam música pop, mas na Finlândia consideram como tal qualquer música feita por qualquer banda que vise atingir o grande público).
O Tabula Rasa encerrou suas atividades em 1977, mas antes lançariam um ep em 1975, contendo “Läthö” de um lado e “Prinssi” do outro, um novo álbum em 1976, que segue os moldes deste primeiro, chamado “Ekkedien Tanssi” (a edição em cd deste disco vem com duas bônus) e um single em 1977, que contém a música “Rakastatko vielä kun on ilta” (uma das bônus que está presente na edição CD do segundo álbum). Ainda no segundo disco, a formação mudaria, pois o flautista Jarmo Sormunn tinha saído do grupo, o baterista Asko foi substituído por Jukka Aaronen e o pianista Pembroke foi substituído por Jarno Sinislalo.
O fim da banda se deu por conflitos internos. Aaronen e Silvennoinen foram integrar uma banda chamada Coitus Inc e todos os demais integrantes abandonaram a música e foram se dedicar à vida espiritual (perceberam a influência que a cidade trouxe para os seus membros?).

Uma observação: se quiserem saber quais são as músicas, deve-se comprar o CD original. Elas estão com títulos errados no Youtube, alguns invertidos (“Gryf”, por exemplo, é nomeada “Tuho” por lá).


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Rafael Lemos

Nível: Colaborador

Membro desde: 29/04/2018

"Colecionador de cds de bandas de Rock. Pirataria: não. "

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaLacrimosa - Einsamkeit (1992)

    07/05/2019

  • Image

    ResenhaKatatonia - Dance Of December Souls (1993)

    30/04/2018

  • Image

    ResenhaTriumvirat - Old Loves Die Hard (1976)

    07/05/2019

  • Image

    ResenhaHelloween - Chameleon (1993)

    30/04/2018

  • Image

    ResenhaSteellord - Headbanger Force (2000)

    06/05/2018

  • Image

    ResenhaTriumvirat - Spartacus (1975)

    04/05/2018

  • Image

    ResenhaCzar - Czar (1970)

    06/05/2019

  • Image

    ArtigoTop 10 - Rafael Lemos

    25/09/2019

  • Image

    ResenhaSteellord - Steellord (1999)

    06/05/2018

  • Image

    ResenhaMellow Candle - Swaddling song (1972)

    06/05/2019

Visitar a página completa de Rafael Lemos



Sobre o álbum

Tabula Rasa

Álbum disponível na discografia de: Tabula Rasa

Ano: 1975

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4,5 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Tabula Rasa



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.