Resenha

Tropix

Álbum de Céu

2016

CD/LP

Por: Roberto Rillo Bíscaro

Colaborador Top Notch

17/04/2019



Eletropop pixelado ultramoderno

Por seus antropofagismos e tropicalismos, o Brasil gosta de dizer que aprecia geleias gerais, tudo junto e misturado. Tropix, quarto álbum de Céu, derrete diversos estilos num caldeirão eletronizado e o resultado é MPB, Música POP Brasileira, ultramoderna, cosmopolita e acessível. O próprio título popifica e computadoriza não apenas a referência à Tropicália, mas também os próprios trópicos, ainda tão fadados ao atraso.

Um título e uma canção explicam à perfeição a tônica desse trabalho da paulistana. Pixel é um ponto luminoso do monitor que, juntamente com outros do mesmo tipo, forma as imagens na tela. Amor Pixelado é uma das canções desse álbum pixelado, onde não dá pra dizer que tal faixa é isso ou aquilo. Tropix é composto de minúcias extraídas de diversos (sub-)estilos por quem sabia o que queria.

Perfume do Invisível intercala gotejar esparso de electronica com disco-funk que não ficaria deslocado na fase Jesus Não Tem Dentes, dos Titãs. A Menina e o Monstro transiciona o tempo todo entre caixa de música e piscodelismo guitarrado. Arrastar-te-ei e Minhas Bics têm ecos de ritmos nordestinos transurbanizados. A Nave Vai é disco music com guitarrinha sapeca. Varanda Suspensa é uma delícia de synthpop tropical i.e. misturado com brega. Chico Buarque Song é regravação do paulistano Fellini, que gravou pela independente Baratos e Afins nos 80’s. Indie rock meio neopsicodélico, mas aquela batidinha de teclado/guitarra na verdade é batuque de samba, que ficaria em casa em algum antigo álbum de Dulce Quental.

Uma das formas de se entender a discreta e diáfana Bossa Nova é vê-la como tendência de gosto hegemônica sucessora dos derramados boleros e sambas-canções. E não é que Sangria traz um fiapo de bolero cantado à Bossa Nova? Une dois inimigos estéticos e é a canção que melhor explica Tropix. E mais para o fim, Sangria vira twee pop com papapa à Sarah Cracknell. Que antenada essa Céu!


Nota: As publicações de textos e vídeos no site do 80 Minutos representam exclusivamente a opinião do respectivo autor



Comentários

Faça login para comentar

IMPORTANTE: Comentários agressivos serão removidos. Comente, opine, concorde e/ou discorde educadamente.

Lembre-se que o site do 80 Minutos é um espaço gratuito, aberto e democrático para que o autor possa dar a sua opinião. E você tem total liberdade para fazer o mesmo, desde que seja de maneira respeitosa.



Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Nível: Colaborador Top Notch

Membro desde: 11/09/2017

Veja mais algumas de suas publicações:

  • Image

    ResenhaClaudio Nucci - Integridade: parcerias com Felipe Cerquize (2018)

    23/04/2020

  • Image

    ResenhaMateus Sartori - Na Volta Que o Mundo Dá (2020)

    01/05/2021

  • Image

    ResenhaThieves' Kitchen - The Clockwork Universe (2015)

    04/02/2021

  • Image

    ResenhaElton John - The Lockdown Sessions (2021)

    28/10/2021

  • Image

    ResenhaKool & the Gang - Perfect Union (2021)

    26/08/2021

  • Image

    ResenhaLeo Fressato - Louco e Divertido (2019)

    28/11/2019

  • Image

    ResenhaRogerio Santos - No Tempo das Marés (2020)

    23/01/2022

  • Image

    ResenhaTuxedo - Tuxedo II (2017)

    15/05/2020

  • Image

    ResenhaTerno Rei - Gêmeos (2022)

    13/05/2022

  • Image

    ResenhaThayana Barbosa - Toda Pele (2021)

    21/06/2021

Visitar a página completa de Roberto Rillo Bíscaro



Sobre o álbum

Tropix

Álbum disponível na discografia de: Céu

Ano: 2016

Tipo: CD/LP

Avaliação geral: 4 - 1 voto

Avalie

Você conhece esse álbum? Que tal dar a sua nota?

Faça login para avaliar

Visitar a página completa de Tropix



Continue Navegando

Através do menu, busque por álbums, livros, séries/filmes, artistas, resenhas, artigos e entrevistas.

Veja as categorias, os nossos parceiros e acesse a área de ajuda para saber mais sobre como se tornar um colaborador voluntário do 80 Minutos.

Busque por conteúdo também na busca avançada.